Vida de cão
Noticias diárias sobre violência no Brasil




Procurando algo?


contato



Quinta-feira, Julho 31, 2003



Bandido preso foi condenado por pistolagem - Diário do Nordeste



O assaltante capturado em flagrante, logo após o assalto ao Banco Itaú da Água Fria, ontem à tarde, já é ¿velho¿ conhecido da Polícia cearense. Ainda no local do roubo ele foi reconhecido pelos policiais do Serviço de Inteligência da SSPDS. Trata-se de João Wabner da Silva, o ¿João Lagoa¿ ou ¿João Gordo¿, natural de Jaguaribara e acusado de envolvimento em assaltos, roubo de veículos e crime de pistolagem. No dia nove de agosto de 1996, ¿João Lagoa¿ foi condenado a 14 anos de prisão, por decisão do Conselho de Sentença do 2º Tribunal do Júri da Capital. Na ocasião ele sentou no banco dos réus sob a acusação de ter participado diretamente do assassinato do empresário Ronaldo de Castro Barbosa, então sócio-majoritário e diretor-presidente da Construtora Colméia. Ronaldo foi fuzilado por pistoleiros na noite de seis de junho de 1995, no bairro Aldeota. Junto com ¿João Lagoa¿, foi também condenado Francisco Xavier Feitosa, o ¿Desenhado¿, acusado de ser o segundo pistoleiro. ¿Desenhado¿ foi apenado com 16 anos de reclusão. A defesa dos acusados recorreu da sentença, mas no dia 13 de fevereiro de 1998, o Tribunal de Justiça confirmou as condenações. Posteriormente, os dois foram colocados em liberdade condicional. ¿João Lagoa¿ voltou a delinqüir: praticou assaltos e retornou ao ¿Paulo Sarasate¿. Ontem, veio a surpresa para a Polícia: o bandido já estava novamente solto e participando do assalto oa banco. Ao trocar tiros com a PM, ¿João Lagoa¿ usava luvas e portava uma submetralhadora calibre nove milímetros. Na viatura CP-5104 ficaram marcas dos tiros que ele disparou contra os militares. ¿João Lagoa¿ recebeu um tiro de raspão na cabeça e, ainda no local, afirmou que seus comparsas são de Petrolina (Pernambuco) e do Pará.



Estuprador de bebê teme a morte na cadeia - O Liberal, Belém

¿Estou com medo de morrer¿, desabafou no final da tarde de ontem o pescador Genivaldo Monteiro Teixeira, de 22 anos, o estuprador de uma menina de apenas um ano e seis meses de idade. O crime ocorreu no final da noite do último domingo na Vila da Penha, município de Maracanã.
Ele narrou à reportagem de O LIBERAL a maneira fria e covarde como conseguiu levar a menina da casa dela, onde ela estava sozinha para estuprá-la e depois abandoná-la à própria sorte no meio do mato. Na manhã de ontem, ele foi transferido da Delegacia de Capanema para a Cadeia Pública da Superintendência do Sistema Penal (Susipe) em Castanhal.
Genivaldo, que não parava de urinar, divide a cela com dois dos quatro rapazes que estupraram e mataram duas meninas também em Maracanã. Os três estão marcados pelos outros presos para morrer, mesmo os que cumprem pena por estupro, mas de vítimas com mais idade e que não foram mortas depois do ato criminoso.
Filho de um pescador já falecido e de uma lavadeira, que tiveram cinco filhos, sendo duas mulheres, o acusado contou que passou a noite toda bebendo com seus irmãos e amigos e que, depois, foi para a casa de uma cunhada, onde assou peixe e comeu. Genivaldo disse que já estava pensando em manter relações sexuais com a menor R. S. C., sua vizinha. Ele entrou na casa dela por volta das 10h30, viu que a menor estava dormindo, pegou-a nos braços e foi para o mato. Lá, R. S. C. acordou.
A vítima já estava com a camisa do tarado dentro da boca, para que seus gritos não chamassem a atenção de alguém que passase no local. ¿Depois eu vi que a menina estava sangrando. Foi quando eu larguei ela no mato e fui embora pra casa¿, narrou o estuprador. Genivaldo disse ainda que nunca tinha praticado coisa parecida na sua vida. Mas que sentia atração em fazer isso com uma criança. ¿Depois que saí do mato me esqueci de tudo. Estava muito porre. So depois é que chegou o arrependimento. Agora eu estou com muito medo de morrer aqui nesse lugar (cadeia pública)¿, completou.



Filha revoltada confessa que mandou matar o pai malvado - Tribuna da Bahia

Ninguém poderia imaginar que o comerciante Agnelo de Oliveira assassinado no dia 11 passado em seu estabelecimento comercial no Jardim Eldorado, IAPI, fosse vítima de sua própria filha, Sandra Oliveira dos Santos, 19 anos, mandante do crime, do genro Luiz Marcos Gonzaga e da sua esposa, Solidalva dos Santos, que sabia de todo o plano.
O comerciante estava na sua loja ¿Arraial Material de Construção e Depósito de Bebidas, no Jardim Eldorado no IAPI , aberta há seis meses, quando por volta das 18 horas do dia 11, quatro homens armados de revólveres chegaram no estabelecimento e o assassinaram, um deles o próprio genro que dirigiu o carro JNK 3021 para conduzir os três elementos.
Após 20 dias de investigações da 2a CP, o delegado titular Antônio Santos chegou até os criminosos. A filha da vítima Sandra e seu marido Luiz arquitetaram tudo e não esconderam os planos de Solidalva que sabia o que ia acontecer com o marido.
Em seu depoimento a estudante falou que fez isto porque cresceu vendo o pai maltratar muito a mãe com agressões. Ela contou ao delegado que Agnelo chegava bêbado altas horas da madrugada agredindo todo mundo e até ameaça de morte teria feito tanto para a mãe como para ela. Entretanto mostrou arrependimento, disse que teve esta atitude porque ¿na hora da raiva a pessoa fica cega, depois que vê tudo acontecendo a consciência pesa.¿ Durante todo o depoimento Sandra Oliveira inocenta a mãe Solidalva Santos alegando que ela não participou da trama. Mas a viúva contou que sabia de tudo e teria alertado a filha para não fazer isto, afinal de contas Agnelo era o pai de Sandra e pai dos outros filhos. ¿Eu tava suportando tudo, porque ela que era filha não suportava?¿, desabafou a viúva. O delegado pediu a prisão preventiva da mãe, da estudante e dos quatro homens que participaram do assassinato, um deles, conhecido por ¿Binho¿, se encontra foragido. O genro, Luiz Marcos, nega a participação e disse que foi coagido por ¿Binho a dirigir o carro¿. Caso recusasse ele atirava nele. O sobrinho da vítima Augusto do Rosário estava inconsolável com a notícia da participação da prima no assassinato do tio. Para ele não existe justificativa para um crime desta natureza.



Menina de oito anos violentada - A Notícia, Joinville

Erval Velho - A Polícia Civil já concluiu o inquérito que apura a denúncia de estupro contra a menina J.S.B., de oito anos, em Erval Velho, no Meio-oeste. A denúncia foi feita na semana passada por Sandra Aparecida Penteado Bulla, mãe da menor, mas o caso só veio a público ontem. Segundo o depoimento que a mãe prestou à polícia, a sua filha teria sido estuprada duas vezes pelo vizinho V.P.S., 50 anos, proprietário de um bar que fica em frente à casa da família. O exame de corpo delito confirmou a conjunção carnal apontando ruptura recente. A mãe da criança tomou conhecimento do fato depois que uma vizinha contou que viu a menina em companhia do acusado em um paiol. A filha relatou que vinha sendo assediada por V. desde março e que o estupro ocorreu em 18 e 21 deste mês.



Trem estraçalha homem em ferrovia - A Notícia, Joinville

Criciúma - Um homem de 37 anos de forma trágica durante a madrugada de ontem em Criciúma. Por volta das 2 horas da manhã de ontem, Juarez Bernardino, 37 anos, caminhava pela via férrea, no bairro Renascer, em Criciúma, quando foi colhido pela locomotiva 4216 da companhia Tereza Cristina, que transportava carvão para a usina Jorge Lacerda, em Capivari de Baixo. Com o impacto, os membros foram amputados e dilacerados e a vítima morreu na hora. A polícia suspeita que Bernardino pudesse estar embriagado. A hipótese se baseia na declaração do maquinista Humberto Silvério. Segundo ele, todos os procedimentos foram tomados, mas o homem seguiu caminhando sobre os trilhos. "Acredito que ele tenha visto o trem, mas, apesar de todo o barulho que eu fiz, ele não saiu", explica.



Marido enciumado mata a tiros pescador conquistador - A Notícia, Joinville

Araranguá - O ciúme pode ter sido a causa de um assassinato cometido a sangue frio, na tarde de ontem, em Araranguá, no Sul do Estado. Clésio Egídio Fernandes, 34 anos, levou três tiros à queima-roupa e morreu a caminho do hospital. Euclides Delfino, 40 anos, fugiu do local mas foi preso minutos depois pelo delegado Jorge Giraldi. Durante depoimento ele alegou que cometeu o crime porque a vítima assediava sua mulher há vários meses. Euclides foi indiciado por homicídio qualificado e encaminhado para o presídio regional de Araranguá. Às 17 horas, Clésio Fernandes, presidente da Associação de Pescadores de Balneário Arroio do Silva, estava parado ao lado do seu carro, em frente ao Hotel Beck, às margens da BR-101, no principal trevo de acesso a Araranguá. De repente um motociclista se aproximou, sacou um revólver calibre 32 e desferiu três disparos à queima-roupa. O primeiro tiro atingiu o braço de Fernandes. Ele tentou entrar no carro, para pegar sua arma, mas não conseguiu. Na seqüência recebeu mais dois projéteis, um no peito e outro na boca. Após desferir os disparos, Euclides fugiu e deixou a vítima agonizando. Populares chamaram a polícia e o Corpo de Bombeiros. Clésio foi socorrido, mas morreu antes de chegar ao Hospital Regional. Testemunhas repassaram as características da moto para a policia, que minutos mais tarde prendeu o assassino. Ao ser interrogado pelo delegado, Euclides alegou que praticou o crime porque a vítima estava assediando a sua mulher há vários meses. Por diversas vezes teria tentado resolver o problema através de conversa, sem resultado. "Ele alega motivos passionais, agora vamos ver se a informação procede. De qualquer forma ele admitiu que planejou tudo. Ele deve ser indiciado por homicídio qualificado", explica Giraldi. Se for condenado Euclides pode pegar pena superior a 20 anos de prisão.



Caminhoneiro morre com duas facadas no coração - A Notícia, Joinville

Lontras - Um programa sexual de beira de estrada acabou custando caro para o motorista Edimar Ziebrantz, 37 anos, que foi assassinado com duas facadas no coração, ontem, às 11h20. A vítima foi encontrada só de cueca na cabine do Mercedes-Benz BAN-1620 (Corupá). A Polícia Rodoviária Federal acreditava que se tratava de um acidente no km 131 da BR-470, próximo ao trevo de Lontras, no Alto Vale do Itajaí, porque o caminhão atravessou a pista e bateu num barranco, mas depois foi constato o homicídio. Duas horas depois a Polícia Civil prendeu em flagrante Rosa Hatzmann, 42 anos, que foi vista entrando no veículo num local onde as garotas de programa costumam fazer ponto em Rio do Sul. O delegado Roberto Schultz diz que todas as evidências eram que Edimar tinha sido morto por alguma garota de programa. É que ele estava só de cueca, que apresentava resíduos de esperma. Na cabine do caminhão foram encontrados calça e um sapato feminino, que a autora não teve tempo de levar. Foi constatada apenas a falta da calça da vítima. A sua carteira estava intacta com R$ 50,00 dentro. Durante a perícia foram encontrados cheques e mais R$ 69,00 em dinheiro no banco do carona. "Por esta razão descartamos a hipótese de latronício", observa o delegado. Ele acredita que mesmo depois de esfaqueada, a vítima ligou o caminhão na tentativa de buscar socorro, razão pela qual o veículo cruzou a pista e bateu. O comprovante de consulta médica emitido pela Secretaria da Saúde de Rio do Sul, em nome da acusada, ajudou a policial a elucidar o crime. O papel foi encontrado ao lado do corpo. Quando os comissários Winter e Domingos retornavam ao local para fazer novas diligências encontraram uma mulher, toda suja de barro, caminhando pelo acostamento, sem sapatos. Quanto da abordagem ela apresentou a sua identidade. Rosa nega a autoria do crime, mas admite que estava na cabine. Ela falou que quem matou foi uma mulher loira, que estava no mesmo local onde pegou a carona. No final da tarde, a polícia localizou uma testemunha que confirmou que a acusada embarcou sozinha no caminhão. Outras pessoas também viram quando ela pulou um barranco, próximo ao local onde aconteceu o crime. Rosa chegou a pedir roupa e chinelo numa casa.


Terça-feira, Julho 29, 2003



ela 71, ele 56, juntos no mesmo hospital


Marido acusado de envenenar mulher - O Dia, RJ

A aposentada Genelícia de Almeida Pinto,71 anos, pode ter sido envenenada pelo próprio marido, em Quissamã. Henrique Gonçalves, 56, está sendo acusado de tentativa de homicídio em inquérito aberto na 123ª DP (Macaé). Ele é o principal suspeito de ter colocado o veneno conhecido como chumbinho, usado para matar ratos, nas cápsulas de remédio de pressão que Genelícia costuma tomar. Ao saber que o veneno havia sido encontrado, Henrique passou mal e teve um infarto agudo. Ele está internado na Clínica São Lucas, em Macaé, onde Genelícia também se recupera da intoxicação.
Henrique ainda está na UTI, mas não corre risco de morte. Genelícia foi transferida para o quarto ontem à tarde e passa bem. A aposentada se sentiu mal sábado, depois de tomar seu remédio. Levada ao Pronto Socorro de Quissamã com sintomas de intoxicação, ela foi submetida a uma lavagem estomacal, onde os médicos descobriram vestígios do veneno. Os remédios da casa de Genelícia foram recolhidos pela equipe do Pronto Socorro. O veneno foi encontrado nas cápsulas do remédio usado para controlar a pressão. A aposentada foi transferida para Macaé, acompanhada do marido. Henrique passou mal na própria Clínica São Lucas quando soube por telefone que foi descoberto veneno no remédio de Genelícia. Procurada ontem, a família preferiu não comentar o assunto. Em depoimento na delegacia, o neto de Genelícia, Rogério Pinto da Silva, 23 anos, disse que a avó já havia tido outras sete crises semelhantes nos últimos dois anos. Segundo ele, a família percebeu que Henrique estava estranho em relação à Genelícia. Rogério também contou em seu depoimento que a avó teria comentado, pouco antes das crises começarem, que Henrique encomendou chumbinho em uma mercearia no bairro Caxias, onde moram. ¿Na época, todos estranharam, pois no bairro não existem ratos¿, disse Rogério, na delegacia. De acordo com o delegado adjunto da 123ª DP, Carlos Vidal, assim que tiver alta, o casal vai ser chamado para prestar depoimento.



gótico, música gótica, triste


Assassinados no cemitério - O Dia, RJ

Nelson Taveira dos Santos, 17 anos, e um rapaz identificado apenas como Ricardo e conhecido pelo apelido de Gato Félix, foram assassinados com tiros na cabeça dentro do Cemitério Municipal de Mesquita, ontem de madrugada. Os dois faziam parte de um grupo de 46 pessoas que se identifica como góticos. Eles freqüentavam um festival de rock, o Passarela do Rock, no Centro de Mesquita, e depois iam se divertir dentro do cemitério, que fica a 400 metros de distância.
Testemunhas acusam dois homens que se disseram policiais e entraram armados no cemitério por volta das 2h. Depois teriam revistado o grupo à procura de drogas e, como nada encontraram, mataram os jovens. O delegado da 53ª DP (Mesquita), Júlio César Vasconcellos, acredita na hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte), mas não descarta a possibilidade de os dois terem sido vítimas de vingança. ¿Algumas pessoas se sentem incomodadas com os roqueiros e com as reuniões que eles fazem aos domingos¿, afirmou.
Luiz Gustavo Pereira Ferraz, 27 anos, um dos organizadores do Passarela do Rock, disse que soube da notícia por um dos góticos. Segundo a testemunha, os dois homens teriam colocado os roqueiros em fila, antes de revistá-los. Depois teriam humilhado o grupo. ¿Eles ficaram mais de uma hora sendo submetidos a torturas psicológicas e a ameaças de morte¿, disse Luiz Gustavo. Segundo ele, os góticos freqüentam o cemitério só para conversar, namorar e ouvir música. Mas para a polícia, os jovens também costumam ingerir bebidas alcóolicas durante a noite.
Para um dos integrantes, Nelson morreu porque riu da ameaça de morte de um dos assassinos. Os disparos foram feitos na cabeça e à queima-roupa. Ricardo, segundo a testemunha, estava bêbado e deitado sobre um túmulo, mas mesmo assim não foi poupado pelos criminosos, que fugiram em seguida. Ontem, um coveiro achou um par de botas usado por uma das vítimas.
¿Pedi várias vezes que ele parasse de fazer essas coisas, mas ele não me ouviu¿. O lamento é de Rosemar Taveira da Silva, 39 anos, mãe de Nelson. Ela disse que o filho ia todos os domingos ao cemitério, apesar de seus conselhos. ¿O que fizeram foi uma covardia, um crime. Esses jovens não se envolvem em nada de errado¿, disse Marilda Pereira Coelho, organizadora da Passarela do Rock, festival que há um ano e cinco meses é realizado aos domingos embaixo da passarela, na Praça Manuel Duarte, reunindo até 2 mil roqueiros. Segundo ela, outro rapaz, conhecido como Allan Cabral, e que freqüentava o festival, está desaparecido há dois meses. ¿Muita gente nos acusa fazer rituais macabros, mas não é nada disso. Só gostamos de ir a cemitérios porque são lugares tranqüilos¿, disse um rapaz que se identificou apenas como Bruno, que já foi a algumas reuniões góticas.
Maurício Soares, vigia e responsável pela capela do cemitério, disse que os góticos costumam ir ao cemitério aos domingos, mas que ontem se surpreendeu com a quantidade de gente reunida. ¿Eram 3h30 quando ouvi os tiros. Me aproximei para ver o que acontecia e só vi vários jovens vestidos de preto fugindo. Achei melhor ligar para a polícia¿, afirmou. Além do vigia, dois jovens que faziam parte do grupo foram ouvidos ontem na delegacia. Um deles foi até a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil fazer os retratos-falados, que não foram divulgados à imprensa.

Segunda-feira, Julho 28, 2003



Pai estupra filha de seis anos em Cuiabá - Diário da Serra, Tangara da Serra, MT

A menor Y.C.S., de 6 anos, foi estuprada ontem pelo próprio pai, o pedreiro desempregado A.L.S.F., de 26 anos que cuidava da garota e mais dois filhos enquanto a esposa trabalhava.
O estupro aconteceu ontem à noite na rua Alenker no bairro CPA II, em Cuiabá. A mãe da garota chegou em casa e viu a filha com as partes íntimas sangrando.
O pedreiro, que estava embriagado, fugiu apressadamente quando a esposa exigiu explicações. O caso será investigado pela Delegacia do Direito da Mulher.



Jovem é estuprada "a pedido de uma amiga" no bairro Santa Cruz, em Cuiabá - Diário da Serra, Tangara da Serra, MT

A polícia registrou ontem mais um estupro na Capital. A jovem E.R.C., de 18 anos, foi atacada por um rapaz armado com um revólver que a arrastou para um matagal onde a violentou sexualmente.
O estupro aconteceu, por volta das 20 horas de ontem, no bairro Santa Cruz II, em Cuiabá, nas proximidades do linhão.
De acordo com a jovem, o bandido ameaçou atirar caso ela reagisse. Antes de fugir, o desconhecido disse que praticou o estupro ¿a pedido de uma amiga da vítima¿, pois E.R. é considerada ¿santinha¿ e ¿certinha¿. A jovem registrou queixa na Delegacia Metropolitana da Capital.



Matou a mãe de um filho seu antes da criança nascer


Fazendeiro preso com 185 quilos de cocaína - Corrreio do Estado, MS

Dono de quatro fazendas em Coxim, o pecuarista João Aguilar Martins, 67 anos, foi preso pela Polícia Federal em poder de 185 quilos de cocaína pura, que na Bolívia é avaliada em R$ 1,3 milhão. A prisão ocorreu no domingo, na Fazenda Jatobá, em Coxim. A PF, que investigava o bando há oito meses, também prendeu o filho do pecuarista, Jairo Aguillar, 47 anos, dono do avião em que foi trazida a droga. A aeronave não foi apreendida, mas em poder dos traficantes foram apreendidas oito armas e sete veículos.
A Polícia Federal apreendeu domingo à tarde em Coxim, 185 quilos de cocaína pura. A droga, avaliada na Bolívia em R$ 1,3 milhão, foi encontrada na Fazenda Jatobá, localizada a 100 quilômetros do município, com o pecuarista João Aguilar Martins, 67 anos. Em Dourados, ele é acusado de ter encomendado a morte da jovem Fabiana Gonçalves Alves, 19 anos, por estar grávida dele. O crime ocorreu em agosto de 2001. Jairo Aparecido Aguillar, 47 anos, filho de João, foi preso em Campo Grande. Em São Paulo, a droga é misturada com outras substância, chegando a ser multiplicada até cinco vezes, sendo que o quilo chega a render US$ 10 mil aos traficantes. Segundo a assessoria de imprensa da Superintendência da Polícia Federal, há cerca de oito meses os agentes investigavam a ação de uma quadrilha de traficantes que atuava na região de Coxim, com ramificações na cidade de Dourados.
João Aguilar foi preso quando transportava a droga em uma F-1000, de sua propriedade. Ele havia acabado de receber o carregamento da cocaína de João Freitas de Carvalho, conhecido como ¿João Jacaré¿, que momentos antes havia pousado com uma aeronave PT-JCS, na pista da Fazenda Jabotá. Ele conseguiu fugir pouco antes do cerco policial.
O avião pertence a Jairo Aparecido Aguillar, também pecuarista, que foi detido numa casa no Bairro Sargento Amaral, em Campo Grande. Pai e filho possuem quatro propriedades rurais na região de Coxim (Fazenda Jatobá, Fazenda Bonsucesso, Fazenda JJ e Fazenda Sampaio). Eles estão presos na Polícia Federal, em Campo Grande, sendo autuados por tráfico de drogas, porte ilegal de armas e formação de quadrilha. Se forem condenados, eles podem pegar até 15 anos de reclusão.
Em poder dos Aguillar os policiais apreenderam, além da cocaína, três pistolas, três espingardas, dois revólveres, munições, uma camioneta F-1000, uma F-4000, uma Ranger e ainda adesivos com prefixos falsos para colocarem na carenagem da aeronave.
Na residência de João Freitas de Carvalho, localizada no no Bairro Vivendas do Bosque, foram apreendidas a caminhonete Fiat Strada Adventure e um Vectra. No apartamento localizado na Rua 13 de Julho, pertencente a Ricardo Jum Uemura, outro integrante da quadrilha de traficantes, foram apreendidas uma caminhonete Silverado, um Marea e dois telefones para comunicação via satélite. Os dois continuam foragidos.
Execução
O fazendeiro João Aguilar Martins, proprietário da Fazenda Boa Sorte, preso com cocaína ontem, responde processo por homicídio de uma garota de 19 anos, Fabiana Gonçalves Alves, grávida de quatro meses. Ela foi executada com um tiro na cabeça na manhã do dia 30 de agosto de 2001.
Aguilar teria contratado por R$ 5 mil o comerciante José Acosta Oliveira, o ¿Zé Gordo¿, 44 anos, que está preso. Ele é acusado de ter contratado para a execução da garota Emerson Souza Silveira, o ¿Batata¿, e Robson de Oliveira, já condenados cada um a 16 anos de prisão. O fazendeiro negou ser o mandante do crime, que teria sido motivado pelo fato de a criança no ventre da garota, ser filha dele. Um exame de DNA colhido do feto, exumado em Maracaju, foi positivo com a probabilidade de 99,2% de ser filha de Aguilar. A polícia também deverá investigar se sua fazenda, localizada no distrito de Itahum, a 65 quilômetros de Dourados, seria usada também para o tráfico.



Bebê de nove meses é espancado - Correio da Paraíba

O delegado de São Sebastião de Lagoa de Roça, Antônio Rodrigues de Araújo, está investigando o espancamento sofrido pelo bebê C.D.P., de nove meses. A dona-de-casa Ivanilda Araújo Gomes, mãe adotiva da criança, está sendo acusada de maus tratos. Segundo denúncias, o menino teria sido espancado pela mulher. A criança está em observação na UTI Neo-natal do Hospital da Clipsi, em Campina Grande, há vários dias. O Conselho Tutelar Norte de Campina Grande enviou ofício para a promotora Gardênia Cirne de Almeida e o juiz João Machado Júnior, titular da comarca de Alagoa Nova, pedindo providências. A dona-de-casa Ivanilda Araújo Gomes e seu marido José Gomes da Silva, não foram encontrados em casa, ontem pela manhã. Conforme documento do Ministério Público, o bebê sofreu edema craniano.



Carcereira é presa por facilitar fuga de detento que namorava - Brasil Norte, Boa Vista Roraima


A investigação que está sendo realizada pela Secretaria da Justiça e da Cidadania, Sejuc, dentro do Sistema Penitenciário, culminou ontem na prisão de uma agente que trabalha na escolta da Penitenciária de Monte Cristo, por facilitação de fuga.
Ela foi presa em sua casa, juntamente com um detento, que seria seu namorado e mais três pessoas. Com eles foram apreendidas 40 gramas de semente de maconha. O caso aconteceu no bairro Cambará. Há mais de um mês que está em andamento uma investigação, orientada pelo secretário Natanael Alves do Nascimento, que apura irregularidades dentro do Sistema Penitenciário, por parte de funcionários, na facilitação de fuga, na saída irregular de detentos e em outros tipos de delitos. Os trabalhos apontaram que um detento, Antônio Edilson da Silva, 23 anos, que trabalhava na fábrica da Penitenciária, havia saído do presídio de forma irregular e estava numa residência no bairro Cambará. A equipe de vigilância e captura da Sejuc e uma equipe da Força Tática cercaram a casa na manhã de ontem e detiveram Edilson, que estava em companhia da agente, Vera Lúcia da Silva, 40 anos. De acordo com informações dos policiais, no momento em que fizeram a abordagem estavam na casa ainda o desempregado Gleidvan Farias Santos, 24 anos, o digitador Fernando Oliveira Silva, 22 anos e o cabo do Exército Wilson Oliveira Silva, 24 anos. Os policiais disseram que eles estavam fazendo um cigarro de maconha e foram apreendidas 40 gramas de sementes da droga, que seriam utilizadas para o plantio.



Deficiente mental é perseguido e morto - A Gazeta, Vitória- ES

O deficiente mental Anderson da Vitória Alcântara, 27 anos, foi executado no ponto final do Bairro Liberdade, em Cariacica, por volta das 13 horas de ontem. A vítima foi perseguida por três homens e correu por aproximadamente 500 metros, até cair no chão e ser assassinada pelos criminosos. Segundo um irmão da vítima, Anderson sofria de esquizofrenia paranóica e tomava remédios controlados. O crime aconteceu na Rua Manaus. Policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) trabalham com a hipótese de queima de arquivo. Uma testemunha contou aos policiais que a vítima foi chamada por um homem, há três anos, para participar de um crime, mas que Anderson não teria aceito a proposta. "Meu irmão trabalhava comigo, como ajudante de marceneiro. Ele começou a apresentar problemas de esquizofrenia há quatro anos, quando passou a ter visões e a chegar em casa com as roupas rasgadas. Tivemos que interná-lo na Clínica de Repouso Santa Isabel, em Cachoeiro de Itapemirim. Quando ele saiu da clínica, passou a usar remédios controlados", disse um dos irmãos de Anderson, J.D.P. A mãe da vítima disse a investigadores da DHPP que os tiros teriam começado na residência dela, onde o filho estava. Anderson pulou um muro para tentar escapar dos assassinos, mas foi perseguido pelo grupo até o ponto final do bairro. "Eu não vi o crime. Só ouvi os tiros e, quando fui perceber, meu menino não estava mais em casa", disse a mãe da vítima. Anderson morreu com dois tiros na cabeça e um nas costas. A primeira informação dada aos policiais indicava que apenas um homem teria participado do crime, mas durante as investigações, policiais civis descobriram que o assassinato foi cometido por três homens. Avisados por uma testemunha, os investigadores chegaram a ver um dos suspeitos, mas ele conseguiu fugir do local. As buscas pelos assassinos continuaram durante a noite de ontem, mas os policiais não conseguiram prender nenhum deles. O bando já foi identificado.


Sexta-feira, Julho 25, 2003



Casal executado em esquina do Cachambi - O Dia, RJ



O comerciante Ricardo da Silva Ferreira, 38 anos, e a mulher dele, a vendedora Aline Nazaré de Oliveira Furtado, 40, foram mortos, na noite de quarta-feira, por dois homens que estavam num Palio Weekend, em frente ao número 267 da Rua Miguel Fernandes, quase esquina com Rua Capitão Resende, no Cachambi. Segundo a polícia, a hipótese mais provável é a de que as vítimas, que estavam na moto vermelha placa LKY-0877, tenham discutido com os assassinos poucos minutos antes. Os moradores contaram que ouviram uma saraivada de tiros, e que o local é conhecido como ¿esquina da morte¿. ¿Os assaltos e homicídios são constantes. Ninguém sai à noite¿, disse um deles. Ricardo foi baleado com quatro tiros no rosto e um na cabeça. Já Aline tentou fugir, mas foi atingida por vários tiros pelo corpo e caiu 20 metros adiante. Ela foi levada para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na madrugada. Uma testemunha contou que viu os dois motoristas discutindo na mesma rua. Outra pessoa que viu a ação dos assassinos foi uma mulher que mora nas proximidades e passava pelo local. Segundo ela, o crime foi praticado por um homem negro, que vestia camisa vermelha. A testemunha disse que o assassino desceu a pé a Rua Capitão Resende, caminhou na direção das vítimas e, na Rua Miguel Fernandes, efetuou os disparos. Depois de atirar, o bandido saiu andando calmamente para a esquina, e entrou no Palio, que acabara de estacionar. Dois homens que consertavam um Corcel quebrado também viram a moto parando e ouviram os disparos, mas saíram correndo e não viram o criminoso. No local foram apreendidos quatro cartuchos de pistola 380 mm, sendo três deflagrados, além de um relógio, chaves, carteira e dois celulares. Nada foi roubado. O enterro do casal, que tem dois filhos, aconteceu na tarde de ontem, no cemitério de Inhaúma, e foi acompanhado por aproximadamente 50 pessoas.

Quinta-feira, Julho 24, 2003



Família que mata unida permanece unida


Justiça prende mulher de aposentado morto a mando dos filhos em Caçapava - Vale Paraibano



A Polícia Civil de Caçapava prendeu ontem à tarde a comerciante Maria Kazama Harada, 55 anos, por suposto envolvimento no assassinato do marido, o aposentado Kazu Harada, 64 anos, ocorrido no dia 9 de maio deste ano. Segundo a promotoria pública, as provas colhidas durante o inquérito foram suficientes para que a prisão preventiva da mulher fosse solicitada. O assassinato de Harada teria sido planejado pelos filhos, Ângela Yuri Harada, 33 anos, e George Alexandre Harada, 21 anos, que confessaram à polícia terem contratado cinco pessoas para a execução. Os sete suspeitos estão presos.Ângela trabalhava no Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), em São José, e George estudava farmácia em Mogi das Cruzes.
O pai foi morto dentro de casa com vários tiros, semanas após retornar do Japão, onde estava trabalhando. O crime chocou a cidade e a polícia levantou a hipótese de interesse da família na herança da vítima.De acordo com a versão da polícia, no dia do crime, Maria Kazama estava deitada com o marido no quarto, assistindo TV, quando foi levada para a sala para o aposentado ser morto pelos bandidos supostamente contratados. Os filhos afirmaram em depoimento que ela não participou do assassinato.Depois de analisar o inquérito concluído pela Polícia Civil, o promotor da 2ª Vara Criminal, Ricardo Framil, apontou três pontos que comprovariam a participação de Maria no crime.O mandado de prisão foi decretado anteontem pela juíza da 2ª Vara Criminal, Wânia Regina Gonçalves da Cunha. No mesmo dia, a Polícia Civil esteve na casa de Maria Kazama, mas não a encontrou.
PRISÃO - Segundo o delegado de Caçapava, Edson Bimbi, a polícia resolveu esperar que Maria Kazama visitasse a filha na cadeia para, então, prendê-la. "Toda quarta-feira ela vem visitar a filha e nós sabíamos que ela viria", disse. Por volta das 10h de ontem, a comerciante chegou à delegacia e foi encontrar a filha. Ela passou pelos procedimentos normais, foi revistada e entrou. Depois da visita, às 14h, Maria Kazama saiu pelo portão da carceragem e, sem saber o que estava acontecendo, foi abordada pelo delegado, que anunciou a prisão. Calma, a comerciante não havia compreendido as palavras do delegado. "Não entendi nada, pode repetir?" Após a explicação de que estava sendo detida, a comerciante pediu para ligar para seu advogado. Ela não quis comentar o assunto. "É um direito que eu tenho", limitou-se a dizer. O delegado de Caçapava afirmou que não anunciou voz de prisão antes para evitar um constrangimento entre os visitantes na cadeia. "Esperamos ela sair para efetuar a prisão porque havia crianças e outras senhoras na visita. Agora, ela deve ficar presa até o julgamento", afirmou Bimbi. Minutos depois, a outra filha dela, Sueli Harada, também saiu e, assim como a mãe, não quis falar. O advogado da família Harada, Elson Leite Ambrósio, não comentou a prisão de Maria Kazama.



Ela? 14 anos, vivia com um homen


Jovem atira em homem que espancava mãe - O Imparcial, Maranhão

Na tarde de ontem, um crime bárbaro abalou a cidade de Bacabal. A menor S.H.S, 14, vivia com José Almeida. Ao chegar em sua casa, encontrou o companheiro espancando sua mãe, a senhora Maria Milagres Miranda.
Indignada, a jovem atirou em José Almeida com uma espingarda. Enfurecido, ele esfaqueou a senhora e a jovem. Até a noite de ontem, a informação era de que José Almeida e Maria Milagres haviam morrido, enquanto que a menor S.H.S estava com ferimentos graves no hospital.



Homem cai de ônibus e tem a cabeça esmagada - O Imparcial, Maranhão

Everaldo Ribeiro, 30, morreu de forma trágica, ontem pela manhã, em frente ao Mercado do Peixe, no Desterro.
Segundo testemunhas, ele estaria embriagado e discutiu com um motorista de ônibus, ao tentar embarcar. O motorista fechou a porta e avançou o veículo. O homem caiu sob a roda traseira e teve a cabeça esmagada. A vítima residia na Vila São José e o corpo, até o início da noite de ontem, estava à espera de reconhecimento por familiares no IML. O incidente aconteceu às 9h40. A polícia chegou ao local minutos depois. As testemunhas não souberam informar a placa, ou a linha do ônibus, apenas que era um entre aqueles que seguem até o Terminal de Integração.



Irmão atira em irmão em Nova Mutum - Só Notícias, MT

Uma briga em família quase acabou em tragédia ontem, em Nova Mutum. Alex Pires da Silva levou um tiro do próprio irmão, que ainda não teve o nome divulgado pela polícia. Segundo a esposa de Alex, a rixa entre os dois irmãos é antiga. Ontem, depois de uma discussão, por volta das 18:00h, na rua das Jacutingas, Alex foi alvejado por um disparo de revólver, efetuado pelo irmão. Por sorte, o tiro pegou de raspão, próximo à orelha e feriu apenas o couro cabeludo. Ele desmaiou, com o susto, e recebeu os primeiros-socorros do Corpo de Bombeiros. O irmão fugiu, logo após efetuar o disparo.



Extermínio domina o Entorno - Jornal de Brasília



O número de corpos de pessoas que morreram brutalmente e aguardam reconhecimento no Instituto Médico Legal (IML) de Luziânia dá uma amostra macabra da violência enfrentada pelos moradores da região do Entorno do Distrito Federal. Apenas nos primeiros três meses deste ano, 15 cadáveres foram encontrados nas cidades de Águas Lindas, Jardim Ingá, Novo Gama, Cidade Ocidental, Valparaizo, Luziânia, Cristalina, Santo Antônio do Descoberto e Padre Bernardo. Recolhidos ao IML, ainda não foram identificados. Na maioria dos casos, são pessoas assassinadas a tiros, com marcas de tortura, ossos quebrados e queimaduras pelo corpo. Vítimas, possivelmente, de grupos de extermínio que atuam na região. Em 2002, passaram pelo IML 527 corpos. Mais de um quinto ¿ 127 ¿ foram vítimas de disparos de arma de fogo. E, desse total, 25 corpos ficaram sem identificação. Águas Lindas registrou o maior número de mortes violentas, com 45 casos, seguida de Luziânia, 37; Santo Antônio do Descoberto, 26; e Jardim Ingá, 25. O diretor do IML, Aleixo Braz de Carvalho, está acostumado a lidar com corpos mutilados. Por isso, se sente numa posição difícil ao tentar enumerar os casos mais macabros que viu. Mas cita três: o de uma cabeça encontrada sem corpo, próximo à loja Móveis Sucupira, em Valparaizo; três rapazes bem vestidos encontrados mortos com mais de 20 tiros de pistola na nuca e cabeça, em frente ao Acquaplay, em Luziânia; e um homem encontrado morto atrás do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) de Valparaizo. "Todas essas vítimas foram desovadas. Morreram longe dos locais onde foram encontradas. São casos típicos de grupos de extermínio", sentencia. Carvalho acredita, no entanto, que boa parte dos cadáveres não identificados é de andarilhos atropelados na BR-040 ou de pessoas que se envolveram em brigas de bar e acabaram mortas por desconhecidos. Mas não pode garantir, pois persistem as dificuldades encontradas pelo órgão para o trabalho de identificação das vítimas. A principal é a falta de pessoal qualificado. Atualmente, uma única legista faz a coleta do material e armazena os dados para os possíveis exames de DNA. Mas como a região é habitada predominantemente por famílias de baixa renda, muitas não podem pagar o exame.

Quarta-feira, Julho 23, 2003



Garoto é assassinado por membro de galera - Folha de Boa Vista, Roraima



Um crime brutal, ocorrido no final da tarde de sábado, chocou os moradores do bairro senador Hélio Campos. O estudante Marcelo de Jesus Santana, de apenas 10 anos, foi assassinado com três facadas por um integrante de galera do bairro.
O crime, segundo as testemunhas, foi cometido porque a vítima teria cortado a linha do papagaio (pipa) do acusado, o desocupado Gleidson Patrício Cheusa,18 anos, conhecido como Tota. As testemunhas contam que Marcelo estava brincando na rua de sua casa, empinando papagaio, quando aconteceu a discussão. Gleidson então pegou uma faca que estava na garupa de sua bicicleta e perseguiu Marcelo, quando este tentava se esconder em um comércio na esquina da rua. Gleidson desferiu mais de três golpes de faca em Marcelo, um deles atingindo o coração. A criança só teve tempo de perguntar a seu algoz por que ele tinha feito isso e depois desmaiou. Populares socorreram o garoto e o encaminharam ao pronto Socorro Infantil do Canaã, onde o menor chegou sem vida. Marcelo é o caçula de uma família grande e vivia com os pais em uma residência na rua 40, do bairro Senador Helio Campos. O acusado mora no Conjunto Cidadão, distante algumas quadras da casa da vítima. Ele está foragido e sendo procurado pela polícia. Gleidson tem várias passagens por tentativa de homicídio, roubos e é integrante de uma das galeras do bairro. Na semana passada ele foi preso por policiais militares por agressão, mas não chegou a ficar na cadeia, sendo apenas indiciado. A polícia acredita que ele tenha fugido para o município de Alto Alegre. O pai do adolescente, José Pereira, está revoltado com o crime.
"Eu perdi meu filho e estou abalado com tudo isso. Agora só quero que prendam esse assassino e se faça justiça", desabafou.



Borracheiro é esfaqueado ao tentar estuprar duas mulheres - Folha de Boa Vista, Roraima

O borracheiro Valdecir Barros foi esfaqueado no final de semana por duas mulheres no município de Caracaraí. Segundo o borracheiro, ele conduzia uma F-4000 quando as mulheres Sonia Sena Lima e a adolescente R.C.S., de 17 anos, lhe pediram carona. Barros alegou que, sem nenhum motivo aparente, as duas jovens lhe atacaram e adolescente lhe desferiu dois golpes de faca na altura do peito esquerdo. Um dos golpes teve uma certa gravidade e o borracheiro teve que ser trazido para Boa Vista. O delegado Sergio Rayol, que estava investigando o caso, ouviu o depoimento das duas acusadas que contaram outra versão para o crime. Elas afirmaram que, em certo momento da estrada, o acusado tentou estuprá-las e as ameaçou com uma faca. A adolescente teria reagido à tentativa de estupro e tomou a faca do borracheiro, após travar luta corporal com ele. No final, conseguiu desferir duas facadas e fugir do veículo. As duas moças estão bastante lesionadas. Elas foram indiciadas por lesão corporal e o borracheiro por tentativa de estupro.



Universitário é executado por colega em Diadema - Diário do Grande ABC

Um desentendimento entre dois amigos que se conheciam há cerca de dez anos terminou com a morte do estudante universitário Carlos Augusto Fracasso de Barros, 22 anos, alvo de pelo menos 12 tiros de pistolas 9 mm e calibre 380, no Jardim das Nações, em Diadema, na noite de segunda-feira. Preso em flagrante por policiais militares, o vendedor Miller Pereira de Souza, 21, negou ter matado o amigo, mas duas testemunhas e o fato de o motor de seu carro ainda estar quente quando ele foi detido levaram a seu indiciamento. Dois irmãos de Souza foram acusados de participar do crime, mas não ficaram presos.
Os dois amigos moravam no Jardim das Nações. Barros foi sepultado na terça-feira à tarde no Cemitério Congonhas, na zona Sul de São Paulo, e Souza está detido na Cadeia Pública de Diadema, na cela do seguro, destinada a presos ameaçados de morte ou que têm dívidas na cadeia. Um vizinho, que preferiu não se identificar, disse que eles eram amigos de infância, mas uma divergência envolvendo uma garota teria mudado as coisas. ¿Eles brigaram por causa de uma menina, e um acabou atirando no outro¿, disse o vizinho. O homicídio aconteceu por volta de 19h30, quando o estudante lavava seu carro em frente de casa. O Escort Hobby com os vidros com película escura do vendedor parou em frente ao local e mais de dez tiros foram dados em direção a Barros. O carro arrancou em seguida, mas a rua estava movimentada e várias pessoas viram o Escort. Os pais do estudante, ao ouvir os tiros, saíram para ver o que acontecia e encontraram o filho caído ao lado da calçada. ¿Foi o Miller¿, foi uma das últimas frases ditas por Barros para a mãe. ¿Colocamos ele no carro e meu filho levou ele até o Pronto-Socorro do Taboão, mas não adiantou¿, disse o contador J.B., 46 anos. Baleado no braço e no abdômen, Barros morreu logo ao dar entrada no PS do Taboão, em São Bernardo. Segundo a irmã do vendedor, D.P.S., 15 anos, Barros freqüentava a casa de Souza e eles já tinham viajado juntos. No dia do crime, Souza passou a tarde dormindo, de acordo com D.. Ele foi preso minutos depois da morte do amigo, quando estava com um grupo de rapazes em uma rua próxima à casa onde vive sua família. Policiais Militares o levaram para o 3º DP (Distrito Policial), orientados por denúncia de duas testemunhas e pelo fato de o motor do Escort estar quente, denunciando que o carro havia sido usado há pouco tempo. Barros cursava Turismo na UniABC e se preparava para começar o quinto semestre. Ele tinha uma filha de dois anos, que mora com seus pais.


Segunda-feira, Julho 21, 2003



Grávida morta a caminho do hospital - Diário de Pernambuco

Grávida de nove meses, a dona de casa Érika Barbosa de Souza, 24 anos, foi assassinada quando se dirigia, sábado à noite, à Maternidade Barros Lima, em Casa Amarela. Em trabalho de parto, Érika sentia contrações, segundo familiares, quando saiu a pé do Córrego do Eucalipto até a avenida Norte, onde foi abordada por Robson Fernandes Santos, um conhecido da vítima, que teria disparado várias vezes contra ela e uma amiga que a acompanhava. A gestante chegou à maternidade gravemente ferida, mas a equipe médica conseguiu salvar a criança, que foi encaminhada ao Instituto Materno Infantil de Pernambuco (Imip). A menina, Érika Vitória, se encontra na UTI daquela unidade. A mãe foi sepultada, ontem à tarde, no Cemitério de Casa Amarela.
Segundo testemunhas, Robson estava na garupa de uma motocicleta vermelha ao se aproximar das duas mulheres. No primeiro momento, ele perguntou a Érika se ainda vivia com Tony. A gestante teria dito que não, continuando a caminhar pela calçada ao lado da amiga. Quando estavam em frente à garagem da Empresa Globo, o homem teria corrido e atirado contra elas. Dois tiros atingiram Érika, na nuca e na perna, enquanto outro bateu de raspão na cabeça da amiga. Robson fugiu na moto vermelha, seguida de uma outra.
A referência feita por Robson ao nome de Tony antes dos disparos, segundo familiares e amigos de Érika, é a comprovação de que o assassinato ocorreu por vigança. Alguns afirmaram que o grupo de Robson mantinha uma rixa com o companheiro da gestante, enquanto outros disseram se tratar de ciúmes. "Robson disse para algumas pessoas que como Érika preferiu ficar com Tony ao invés de ficar com ele, um dos dois amantes teria que morrer", contou uma colega de infância da vítima. Além de Vitória, Érika deixou dois meninos: Érick, 8 anos, e Felipe, 4. "Agora vamos criar os três, pois em casa que cabe duas crianças cabe cinco", disse o irmão dela, Almir Barbosa, 29 anos.
SEPULTAMENTO - Ontem à tarde, os meninos juntaram-se ao pequeno grupo que assistiu ao sepultamento de Érika. Felipe permaneceu grande parte do tempo agarrado ao tio e de olhos fixos no caixão. No princípio ficou em silêncio, mas não conseguiu segurar as lágrimas quando o irmão mais velho se aproximou do corpo da mãe. "Quero ir para casa", repetiu diversas vezes, indo ao encontro da avó, Marlene Cecília Barbosa de Souza, que entrava no cemitério. Apoiada sobre os ombros de uma sobrinha, Marlene titubeava. "Vim ver minha filha pela última vez. Agora tudo acabou. Não, não podia ser no meio da rua. Levante minha filha, levante!", gritou Marlene ao se deparar com o velório.
Criada na rua Carlos Neves da Mata Machado, no bairro da Macaxeira, Érika, segundo os amigos e a irmã Patrícia Barbosa de Souza, de 21 anos e também no nono mês de gravidez, foi sempre uma pessoa alegre. "Estava mais feliz ainda com a gravidez. Ia ser mãe da menina que sempre pensou em ter", revelou Glaúcia Maria Alves do Nascimento, 23 anos. O caso, registrado às 22h do sábado, foi recebido pelo delegado José Antônio Silva, titular de Casa Amarela. Até o fechamento desta edição, a Polícia Civil não havia prendido o principal suspeito do crime nem os homens que o acompanhavam. Segundo relatos de testemunhas, dois deles são conhecidos como Anderson e Samuel.



Motorista da Agricultura morto a pauladas - Brasil Norte, Roraima

O motorista da Secretaria de Agricultura, Elildo Lima dos Santos, 25 anos, foi morto a golpes de pau, que o atingiram principalmente na cabeça. Um amigo dele, Josué da Conceição Costa, ficou ferido, mas conseguiu fugir.
Em poucas horas de investigação, a equipe comandada pelo delegado titular da Homicídios, Júlio Barros, já tinha a identidade dos autores do crime que estavam sendo procurados e .conseguiu prender os acusados Olavo da Silva Sobral, Tharlisson da Costa Silva e Cleiton Rodrigues de Lima. Elildo morava na rua S-26, no bairro Santa Luzia. Ele saiu de casa acompanhado de Josué da Conceição. Os dois bebiam no ¿Nosso Bar¿, que fica localizado na rua N-11, a menos de cem metros da casa de Elildo. Os três homens que mataram Elildo também estavam no bar e bebiam numa mesa própria. O dono do comércio, identificado por Paraná, disse que todos chegaram cedo no local e que na madrugada a vítima teve sua carteira roubada e o amigo dele apontou um dos três acusados que estavam próximo. Elildo Santos foi tirar satisfação com o homem que por sua vez agrediu Josué.
Segundo o dono do bar, teria sido o próprio Josué quem havia pego a carteira de Elildo. ¿Sei que ele havia tomado oito cervejas e como não tinha dinheiro para pagar deixou sua bicicleta empenhada e disse que chamaria a Polícia. Como a Polícia não veio ele saiu para a casa dele, sozinho e vi quando os três homens o seguiram. Depois somente vi quando a Polícia bateu aqui e prestei depoimento e levou a bicicleta¿, conta. O comerciante disse ainda que somente quando soube da morte de Elildo Santos é que tornou a ver outra vez Josué, que teria saído do bar antes da vítima. Os assassinos de Elildo foram impiedosos. Eles se armaram de paus, provavelmente uma estaca e o cercaram. A violência foi tanta, que Elildo caiu numa poça de lama e sua cabeça partiu, tendo os miolos se espalhado. Várias pessoas ouviram os gritos dele, mas como estava muito escuro não viram quem eram os agressores. Os assassinos ainda roubaram as roupas de Elildo, inclusive a cueca e os sapatos, além de seu telefone celular. Nenhum documento dele ou carteira foi localizado. Ontem pela manhã ainda se podia ver muito sangue no local e o cérebro da vítima que foi coberto por barro pelos moradores. O corpo foi levado ao Instituto Médico Legal, onde os familiares aguardavam a liberação para sepultamento. A revolta deles pela violência à que Elildo foi submetido é muito grande. ¿A Polícia não pode permitir que esses bandidos fiquem impunes. Eles precisam ser presos e condenados pelo crime que cometeram¿, disse uma irmã da vítima. A versão apurada pela Polícia é totalmente diferente da que foi contada pelo dono do comércio. Na realidade o amigo de Elildo escondeu sua carteira porque os homens que estavam no local queriam roubar. A vítima se negou a pagar uma conta no bar e os três homens saíram em defesa do comerciante. Os dois amigos saíram juntos do bar e foram perseguidos pelos três homens que os atacaram para roubar. Elildo não conseguiu fugir e foi morto. Josué correu e entrou no quintal de uma casa e escapou. Josué teve ferimentos na cabeça, provocados pelas pauladas e fez exame de corpo de delito no IML.



Mulher é atropelada após receber notícia da morte do pai - Dourados Agora (07/07/03)

Informações preliminares que chegou à redação do Douradosagora dão conta que uma douradense foi atropelada após receber a notícia da morte do pai que estava internado em um hospital da cidade. O motorista do carro conseguiu frear a tempo e ela foi socorrida no mesmo hospital em que o pai estava internado. Conforme informações extra-oficiais ela não sofreu ferimentos graves.



Mulher morre afogada em lagoa - Dourados Agora



Ambrosina Gomes de Lira, 56 anos, morreu há pouco afogada em uma lagoa na Mudas MS, na BR 163. Segundo informações, a senhora que era conhecida como Marta, nadava no local quando desapareceu na água. O marido estava na casa de um amigo e quando voltou estranhou a ausência da mulher. Edson Vieira Arruda alertou a vítima que não tomasse banho na lagoa, já que ela havia ingerido bebida alcóolica durante a manhã. Quando os Bombeiros chegaram ao local, Ambrosina já havia sido retirada sem vida da lagoa. O corpo será liberado para sepultamento provavelmente amanhã.



Braçal decepa nariz de estudante e é assassinado com oito facadas - Folha de Boa Vista, Roraima




Uma confusão na Vila São Silvestre, município de Alto Alegre, terminou com três pessoas presas em flagrante, um delas teve o nariz decepado, além de um assassinato com oito facadas.
Os policiais militares contaram que na tarde de terça-feira um cidadão foi até o destacamento localizado na vila pedir ajuda para resolver um caso de esfaqueamento.
Na diligência, os policiais descobriram que o braçal Fábio Nobre da Silva havia sido esfaqueado e que o autor seria Alessandro Pinheiro da Silva, conhecido como Sandro Boi, um ex-presidiário de alta periculosidade.
A vítima estava caída na porta da residência com mais de oito perfurações. Uma faca tipo peixeira com mais de 10 polegadas estava jogada ao lado do corpo.
Os policiais voltaram para o destacamento para pegar um carro e prestar socorro à vítima e encontraram no posto policial Tenisson Silvestre Figueira, 23 anos, Alessandro Pinheiro da Silva, 22, e Kenedi Sobral da Rocha, 22. Os três foram presos.
Tenisson, que estava ferido gravemente no rosto, teve o nariz decepado e perdeu parte da face. Ele contou aos policiais que tinha sido esfaqueado por Fábio. Segundo a versão de Tenisson, ele e Fábio estavam jogando sinuca quando discutiram. "Ele perdeu o jogo e não queria pagar as fichas. O dono do bar, para evitar confusão, o mandou embora, mas não teve jeito. Ele ficou me esperando com uma faca e cortou meu nariz", disse.
Para vingar o estudante Tenisson, Sandro Boi e Kenedi Sobral espancaram Fábio e depois desferiram mais de oito facadas na vítima.
Eles foram presos em uma operação conjunta entre a polícia militar e a polícia civil e conduzidos a Boa Vista. Os dois feridos foram encaminhados ao Pronto Socorro Francisco Elesbão. Fábio chegou sem vida ao local. Ele levou três facadas na cabeça e cinco espalhadas pelo corpo.
FICHA CRIMINAL - O ex-presidiário Alessandro Pinheiro da Silva, o Sandro Boi, 22, acusado de ter matado na noite de terça-feira o braçal Fábio Nobre da Silva, foi flagranteado na tarde de ontem no Departamento de Polícia Judiciária do Interior (DPJI). Ele foi acusado de homicídio qualificado e encaminhado à Cadeia Pública de Boa Vista.
O diretor do DPJI, Egidio Faitão, confirmou que somente Alessandro responde a mais quatro inquéritos, dois deles por homicídio. "Eles disseram que após saírem da cadeia foram morar na vila. Alessandro responde a vários processos e é considerado perigoso para a sociedade, mas estava em liberdade provisória", confirmou.
Segundo a ficha criminal divulgada pela polícia, Alessandro é acusado de ter matado o pintor Pedro Abreu Lindoso, em setembro de 2001, com um golpe de punhal. Ele foi preso alguns dias depois, ainda de posse da arma do crime, mas foi liberado após prestar depoimento. Quando matou o pintor fazia apenas 14 dias que Alessandro havia saído da prisão, onde cumpria pena por tentativa de homicídio e roubo. Sandro Boi era conhecido integrante de galera em Boa Vista, quando era menor de idade. O outro acusado, Kenedi Sobral da Rocha, 22, foi flagranteado por co-autoria no crime, pois teria desferido golpes em Fábio, deixando-o desmaiado no momento em que Sandro o matava.


Sexta-feira, Julho 18, 2003



Diretor de teatro é morto depois de briga no trânsito - Jornal do Commercio, RJ

O ator e diretor de teatro paulista Carlos Calchi (30 anos) foi assassinado com um tiro na cabeça, na noite de quarta-feira, depois de uma briga de trânsito na Rodovia Presidente Dutra, próximo a São João de Meriti. Ele e o amigo Ernesto Sollis voltavam de oficina teatral para menores infratores de Belford Roxo. Calchi era coordenador do projeto direcionado para adolescentes desenvolvido pela organização não-governamental (ONG) People's Palace Project, do diretor inglês Paul Heritage, seu companheiro. Carlos Calchi e Ernesto Sollis chegaram ao Centro de Atendimento Intensivo de Belford Roxo (CAI-Baixada), mas foram informados de que a oficina estava cancelada. Voltaram para o Rio, onde comemorariam o aniversário de Ernesto. Perto de São João de Meriti, o carro em que estavam, dirigido por Ernesto, foi fechado por um caminhão, obrigando-o a frear bruscamente. O motorista de um Chevette que vinha atrás dos dois não conseguiu frear. ''Ele já chegou gritando, brigando, e voltou para o carro. Eles saíram em disparada, mas foram perseguidos'', contou o coordenador da People's Palace Project, Magno Belmont de Barros. O motorista, que levava uma mulher e uma criança, emparelhou com o carro de Sollis, ao lado de Carlos, que estava no banco do carona, e atirou em sua cabeça. Ernesto ainda dirigiu até um posto de gasolina. Os bombeiros foram chamados, mas Carlos já estava morto quando a ambulância chegou. Ernesto ficou em estado de choque. Paul Heritage, professor da Universidade de Londres, que implantou projetos teatrais em defesa dos direitos humanos em presídios do Rio, São Paulo e Brasília, reconheceu ontem o corpo de Carlos, seu companheiro há um ano. ''Ele mistura revolta, abatimento, com momentos de choro. Ele tem trabalhado como agente modificador dessa situação e agora assume o papel de vítima da violência. Acho que isso dará mais força ao trabalho dele'', disse Magno. Carlos Roberto Formaglio Oliveira adotou o sobrenome Calchi para trabalhar no teatro. Ele chegou ao Rio há dois anos, onde morou um tempo na casa do ator Murilo Benício. Desde o início do ano, trabalhava com o PPP. O projeto para menores infratores recebe verbas da loteria britânica e do Community Fund e tem chancela da Unesco.



Sete corpos aparecem no Rio Sarapuí e Polícia mata 3 - Jornal do Commercio, RJ


Fotos do Jornal do Brasil


Sete corpos - seis homens e uma mulher - foram encontrados ontem no Rio Sarapuí, em Campos Elíseos. A Polícia acredita que são os sete desaparecidos da Favela de Vigário Geral, que moradores disseram ter sido seqüestrados por bandidos da favela de Parada de Lucas na madrugada de quarta-feira. Moradores contaram que os traficantes de Lucas chegaram a Vigário Geral em grupo de 20 pessoas, usando roupas pretas, toucas ninjas e fuzis. O tiroteio teria durado cerca de oito horas. Outro corpo foi encontrado na favela de Vigário Geral, e a Polpicia matou três pessoas em troca de tiros na Vila Esperança. A guerra entre traficantes das favelas de Parada de Lucas e Vigário Geral causou a morte de 11 pessoas e levou pânico aos moradores das duas comunidades, durante duas madrugadas consecutivas. O comandante do 16º BPM, tenente-coronel Lourenço Pacheco Martins, afirmou que este é o primeiro conflito depois de três anos de trégua, quando foi implantado o Posto de Policiamento Comunitário (PPC) na divisão das favelas. A disputa por pontos de venda de drogas começou na madrugada de quarta-feira, com a invasão da favela de Vigário Geral, dominada pela facção criminosa Comando Vermelho, pela facção que domina a de Parada de Lucas, o Terceiro Comando. Na manhã de quarta-feira, a polícia chegou a entrar em Vigário Geral, mas ninguém foi preso. Outros três supostos traficantes foram mortos pela polícia, na localidade de Vila Esperança, depois de terem invadido uma residência, usando uma adolescente de 15 anos como escudo. Um quarto corpo foi encontrado em Vigário Geral, na manhã de ontem. De acordo com os policiais, os bandidos chegaram a atacar o Posto de Policiamento Comunitário (PPC). Os policiais receberam apoio de equipes do Grupamento Especial Tático Móvel (Getam). No confronto, o cabo Marcos Corrêa de Andrade, do 16º BPM, foi baleado de raspão no ombro esquerdo. Segundo a 38ª Delegacia de Polícia, até o fim da tarde de ontem, quatro pessoas haviam sido presas. Na operação, foram apreendidos dois fuzis, uma granada, um revólver calibre 38 e seis automóveis. Para a polícia, a operação teve grandes proporções porque Vigário Geral é considerado um ponto-chave para o Comando Vermelhio. Por isso, precisava ser defendido dos rivais do Terceiro Comando. Traficantes de favelas distantes, como Borel e Parque União, foram recrutados para o serviço. Vigário Geral ficou conhecido em todo o País há dez anos, quando 21 moradores foram executados por PMs. Eles agiram por vingança - quatro policiais haviam sido assasinados por traficantes na véspera. Entre os acusados, cinco policiais foram condenados, 18, absolvidos e cinco, mortos. Outros três ainda serão julgados.

Quinta-feira, Julho 17, 2003



Diretamente do 1º DP Brasil, estamos de volta


Pediram R$ 500 de resgate - Jornal do Commercio, RJ

Hipertenso e com 64 anos, o serralheiro Jooji Sakurai ficou nas mãos de três seqüestradores no interior da Favela do Jaguaré, em São Paulo. Os bandidos, que a princípio exigiam do genro da vítima R$ 30 mil para liberar o sexagenário, resolveram aceitar R$ 500,00 da família do seqüestrado e acabaram presos no momento em que se aproximavam do local onde o dinheiro seria deixado. No momento em que se aproximavam do local onde o dinheiro foi deixado, o trio, ocupando uma Brasília, foi detido pelos policiais da Delegacia Anti-sequestro (DAS). Com os bandidos os policiais encontraram documentos da vítima, o que deixava claro que o trio era mesmo o responsável pelo crime. Aparentando serem iniciantes em crimes de seqüestro, Aílton Vieira Porto, 48, Willian Joaquim dos Santos, 24, e Marcos Tomás Ribeiro, 23, obrigaram a vítima a deitar de bruços sobre uma cama enquanto reviravam os documentos do serralheiro e investigavam a vida financeira da família dele.



Segunda-feira, Julho 07, 2003



Gari é assassinado com 12 golpes de picareta - Folha de Londrina

Mais um violento homicídio foi registrado na noite de anteontem, em Londrina, elevando para 118 o número de assassinatos na cidade somente este ano. O gari Pedro Amorim, 30 anos, foi morto a golpes de picareta, dentro de sua residência, localizada à rua Francisca Vibra da Costa, 580, no Jardim Liberdade (zona norte). Na casa estavam também a mulher e os dois filhos menores da vítima, que nada sofreram. Segundo informações da polícia, por volta das 20 horas de sábado, dois homens teriam invadido a casa de Amorim, pegando os moradores de surpresa. Depois de dominar a vítima, os invasores teriam trancado a mulher e as crianças no banheiro. Na sala, teriam então desferido cerca de 12 golpes de picareta a maioria na região do rosto contra o gari. Alertados pelos gritos da mulher, os vizinhos teriam chamado a polícia mas quando as primeiras viaturas chegaram, não encontraram mais os assassinos. De acordo com as informações apuradas junto à polícia, Amorim não tinha passagens criminais. A Folha tentou falar com o delegado que atendeu a ocorrência, Ailton Simplício, mas ele já havia saído de plantão. Segundo informações da Administração de Cemitérios e Serviços Funerários de Londrina (Acesf), o corpo de Pedro Amorim foi levado para ser enterrado em Apucarana.


Domingo, Julho 06, 2003



Casal acusado de espancar e matar bebê - Folha de Londrina

Foz do Iguaçu O Setor de Homicídios da 6 Subdivisão Policial (SDP) está investigando a morte por espancamento de um bebê de um ano e três meses em Foz do Iguaçu. O padrasto Roberto Eleutélio e a mãe da menina Zélia Aparecida Vieira estão presos desde sexta-feira acusados do assassinato. Os dois negam o crime. A suspeita de agressão partiu dos médicos da Santa Casa Monsenhor Guilherme que atenderam Karyelen Vieira. Ela foi internada às 14h30, segundo o casal, por suspeita de alergia que teria provocado ''manchas roxinhas''. Vinte minutos depois, o bebê entrou em óbito. Exame realizado por médicos legistas constatou a fratura de uma vértebra, rompimento do fígado, pâncreas, hemorragia interna no abdome e a existência de vários hematomas. O laudo revela ainda que as lesões ocorreram 12 horas antes do óbito.
Ontem, outros exames foram realizados, entre eles um para verificar possível existência de resíduos de pele da criança sob as unhas de Eleutélio. Os resultados devem ser ficar prontos no prazo de um mês. O delegado-ajunto da 6 SDP, Walter Oliveira, vai indiciar Eleutélio por homicídio doloso, crime com pena prevista de 12 a 30 anos de prisão. Ele suspeita que Zélia não estaria em casa no momento do crime, por isso vai aprofundar a investigação antes de indiciá-la. Em seu depoimento, Eleutélio jurou inocência. Zélia disse que nunca bateu na filha e jamais viu o companheiro agredi-la.



Gangue de jovens comete tentativa de homicídio em VR - Diário do Vale, Volta Redonda



Sete jovens de classe média alta de Barra Mansa foram presos na madrugada de ontem e autuados por tentativa de homicídio na 93 DP (Volta Redonda) depois de surrarem um homem e lançá-lo do alto de um viaduto. Até no final da noite, os nomes dos agressores não tinham sido revelados porque eles ainda estavam depondo. Segundo informações não confirmadas oficialmente, a vítima, Mauro César da Silva, de 35 anos, teria fraturado duas vértebras da coluna cervical em conseqüência dos socos e pontapés que recebeu e da queda do viaduto. Ele também sofreu fratura de um braço e do nariz, e além de ter três dentes quebrados. Mauro César está internado no Hospital São João Batista. Por volta das 16 horas, Mauro foi levado ao Hospital Vida para exame de tomógrafo e retornou uma hora depois ao São João Batista, onde passou por uma cirurgia. O pessoal de plantão da portaria do hospital informou que o estado dele era regular e que ele estava lúcido e orientado, mas sentia muitas dores e não quis falar com repórteres. Apenas a família dele pôde ter acesso ao setor de pronto atendimento, onde ele ficou depois das cirurgias. O ataque ocorreu no Viaduto Sávio Gama, no entroncamento da Rodovia Lúcio Meira (BR-393) com a Avenida Amaral Peixoto, no Centro da cidade, e foi filmado pelas câmeras do Centro de Controle de Trânsito e Segurança da prefeitura. Antes da agressão, a vítima e os jovens que o atacaram se envolveram em uma briga na Exposição Agropecuária de Barra do Piraí. Os agressores perseguiram Mauro desde aquela cidade até o viaduto, onde ele foi alcançado. Mauro tentou continuar a fuga, mas o Vectra bateu na mureta da ponte. Os monitores do Centro de Controle de Trânsito e Segurança da prefeitura captaram as cenas do ataque, e carros da Guarda Municipal e da Polícia Militar montaram um bloqueio na Avenida dos Trabalhadores, em frente à Rodoviária Francisco Torres. Coordenados por rádios de comunicação, os policiais que armaram o bloqueio eram informados sobre o trajeto da fuga dos agressores pela Avenida Amaral Peixoto. O Gol foi cercado, mas a picape S-10 conseguiu romper a barreira armada no meio da pista. O veículo acabou sendo interceptado ainda na Avenida dos Trabalhadores, em frente à agência dos Correios, por policiais militares que atendiam a um acidente de trânsito no local. Marco Aurélio Raimundo, de 24 anos, Felipe Barros de Carvalho, de 20, seu irmão, Henrique Barros de Carvalho, de 19 anos, Adian Granato Ferraz, de 20 anos, Rafael Alves Monteiro de Barros, de 23 anos, Glauco Silva Oliveira, de 21, e Ricardo Machado de Abreu, de 20 anos, foram autuados em flagrante e estão presos na 93 DP. Um carro resgate da prefeitura recolheu Mauro César, levando-o para o hospital.



Corpo de desconhecido encontrado carbonizado - Correio da Bahia

O corpo de um homem parcialmente carbonizado foi encontrado ontem, pela manhã, por moradores da periferia do município de Esplanada, na Rua dos 15, próximo ao depósito de lixo da cidade. Do que sobrou da roupa da vítima, foi possível ver que se tratava de um blusão usado por motoboys e uma bermuda jeans. Moradores do local disseram à polícia que o rapaz era de Entre Rios e que tinha ligações com traficantes da região de Esplanada, mas essa informação ainda vai ser checada pelos agentes da delegacia local. A vítima tinha o rosto tão desfigurado que não foi possível nem estimar a idade aproximada, muito menos sua identidade. Os restos mortais foram levados para o Instituto Médico-Legal de Alagoinhas depois de analisados por peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT), de Feira de Santana. O delegado Luís Castro Freaza, titular da delegacia de Esplanada, instaurou inquérito e solicitou exames do que sobrou das digitais e da arcada dentária para que possa identificar o cadáver.



foi por amor


Jornaleiro mata lavador de carros a golpes de porrete - Correio da Bahia

O jornaleiro Claudionor dos Santos, 29 anos, foi preso em flagrante ontem, pela manhã, por matar a golpes de porrete o lavador de carros João Batista Rodrigues, 34, na sinaleira do entroncamento entre a Avenida D. João VI e a Rua Jacaratiá, também conhecida como Rua do Canal, bairro Caminho das Árvores. Depois de jogar a arma num terreno baldio, ele foi detido por uma guarnição do Esquadrão Águia e conduzido para a 7ª Delegacia (Rio Vermelho), sendo autuado pela delegada de plantão, Mônica Suely Piropo. O crime ocorreu por volta das 10h30, quando os dois iniciaram uma discussão tendo como pivô a mulher do criminoso, Kátia Alvim de Souza, que tivera um romance com a vítima há cerca de dois anos. Claudionor estava em companhia de dois homens, que conseguiram fugir sem ser identificados. Durante a briga, o homicida pegou o pedaço de madeira e desferiu vários golpes na cabeça de João Batista, que perdeu os sentidos. A vítima foi socorrida por populares para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde chegou sem vida. Moradores do local que viram o que estava ocorrendo acionaram a polícia, tendo uma guarnição da PM, sob o comando do sargento Paulo César dos Santos, perseguido o acusado, que foi detido a poucos metros do local do crime e conduzido para a 7ªDP. O porrete foi encontrado por testemunhas e entregue à polícia. Na delegacia, Claudionor alegou que apenas desferiu chutes na vítima e que não sabe dizer quem bateu com o pedaço de madeira na cabeça de João Batista. Mas o adolescente J.S.C., 15, que também foi levado para a 7ª DP para prestar depoimento, aponta Claudionor como autor das porretadas que provocaram a morte do rapaz.



Garota violentada diante dos irmãos - A Tarde, Bahia



A casa simples no Parque São Paulo, em Itinga, distrito de Lauro de Freitas, nunca foi cenário de uma boa história. Mas a noite de horror pela qual passaram os seus ocupantes, todos jovens com menos de 21 anos, superou qualquer outra expectativa negativa que pudessem ter. Espancamentos, estupro e ameaças de morte, sob a mira de revólveres, duraram toda a madrugada de ontem. As vítimas são da mesma família, os irmãos Renê de Jesus dos Santos, 20 anos, Rigovaldo de Jesus dos Santos, 18 anos, e a adolescente R. J. S, de 17 anos, além do primo Adriano Santos da Silva, 20 anos. Os responsáveis pela empreitada, que visava recuperar uma motocicleta roubada do motoboy Anailton Almeida de Souza, são o comerciante Michel Santos Souza e o ex-detento Railton Barros Conceição. Os dois foram presos em flagrante. Anailton não participou diretamente, mas sabia de tudo. Se não conseguissem a moto de volta, ficariam com tudo que a família tivesse de valor, como compensação. Venderiam e dividiriam por três. Segundo ele, seria só uma ¿prensa¿. Mas foi uma sessão de tortura que começou por volta das 11 horas, quando Michel e Railton invadiram a casa daqueles que responsabilizavam pelo roubo da moto de Anailton, no ano passado. ¿Cadê a moto?¿ perguntou Michel ao chegar, portando uma arma e vestindo uma camisa do grupo de Operações Especiais da Polícia Militar. Não esperou resposta. Ele e Railton passaram a agredir quem estava na casa, a adolescente R. J. S, Adriano e Rigovaldo. Atraído pelo barulho de um carro, Renê - que assistia televisão na casa de um vizinho - foi para casa e também foi rendido pelos dois. Os três foram colocados no fundo da picape Fiorino de Michel, que se diz proprietário da Vapt Pizzaria, no Cabula. Railton, armado, também foi no fundo do carro, tomando conta deles, que estavam amarrados e de olhos vendados. A garota foi ao lado de Michel, no banco da frente, para a Praia de Stella Maris. No local, os rapazes voltaram a ser espancados. A garota foi estuprada por Railton e obrigada a fazer sexo oral com Michel, na frente dos irmãos e primo. Não confessaram participação no roubo da motocicleta e perderam tudo que tinham de valor em casa, que era a tevê, o som, o videogame e Cds. Os bandidos não queriam ficar no ¿prejuízo¿. Abandonados na praia, voltaram a pé diretamente para a 27ª Delegacia. Lá, o caso foi esclarecido e tiveram início as buscas pelos suspeitos. Dois foram detidos e um encontra-se foragido. A história foi contada pelas próprias vítimas. Segundo elas, a amizade com Anailton começou há cerca de dois anos, quando ele e Renê trabalhavam numa pizzaria em Ipitanga. Renê, os irmãos e o primo Adriano chamavam Anailton de ¿Nanai¿. A amizade - que permitia que Anailton e o primo, Railton, visitassem a casa e levassem namoradas para passar a noite - durou até que a moto de Anailton foi roubada, no ano passado. Isso quem conta é Anailton. Segundo ele, estavam todos juntos e Renê chegava do trabalho, quando assaltantes entraram em casa e levaram a chave da sua moto, que estava na porta. Anailton continuou trabalhando como motoboy, agora em uma gráfica, e até já havia conseguido juntar dinheiro para comprar outra. Mas seu primo, o ex-detento Railton, achou que a história estava malcontada. Ia dar uma ¿prensa¿ na família. Com Michel, que fingia ser policial, Railton invadiu a casa deles para descobrir o paradeiro da moto. Depois de torturarem e abandonarem os quatro na praia, sem conseguir a confissão esperada, cada um seguiu seu caminho, levando tudo de valor que encontraram. Não esperavam que as vítimas denunciassem o caso à polícia, depois de todas as ameaças que fizeram. ¿Michel dizia que ia voltar¿, revelou, chorando, a adolescente R. J. S. Para que os irmãos e primos não fossem executados - como prometiam os dois -, sofreu os abusos sexuais. Os rapazes estão com marcas do espancamento e todos têm medo. ¿Não vamos ter paz¿, avaliou Renê. Os quatro moram sozinhos na casa da família, desfeita há muitos anos. A mãe fugiu e os abandonou com o pai. Este vendeu o imóvel a um irmão e mudou-se com eles - e um irmão mais velho - para o bairro de Portão. Espancados pelo pai freqüentemente, os quatro fugiram de volta para casa, que já estava vazia, pois o tio não conseguiu pagar por ela. No início, tiveram o apoio da mãe, mas agora só sabem que ela mora de favor em algum lugar. Não sabem onde. O problema para eles, agora, é permanecer na casa. ¿Não temos para onde ir¿, chora R. J. S. O primo Adriano, que está desempregado, também se preocupa. Foi ele que acompanhou a polícia na busca aos culpados. Foi fácil chegar aos responsáveis. Anailton foi preso no Vale das Pedrinhas, onde mora. Michel foi detido na pizzaria de sua propriedade. Railton, que é ex-detento, está foragido. Os dois detidos se dizem arrependidos. ¿Aceitei participar disso porque pensei que eles eram ladrões¿, justifica Michel, que não confessa abuso sexual contra R. J. S. ¿Já tinha até o dinheiro para comprar outra moto e esquecido a moto roubada¿, disse Anailton, lamentando ter aceitado a sugestão do primo de dar uma ¿prensa¿ na família.



Tudo bona gente


Sete empresários presos no Oeste - A Notícia, Joinville, SC

Receptação de produtos furtados levou para trás das grades pessoas tidas como de reputação incontestável na sociedade.
O Presídio Regional de Concórdia viu uma cena se repetir com constância nos últimos meses. Desde o início de 2003, sete empresários passaram a ocupar celas do presídio acusados de receptação de produtos roubados. Para o delegado de Polícia de Concórdia, Clomir Badalotti, a ganância por lucro fácil é o que tem levado para trás das grades pessoas que possuíam reputação incontestável. "Provavelmente, os sete empresários detidos ganharão a companhia de outros em breve. Estamos próximos de desbaratar mais uma rede de receptação no município", revela o delegado. Badalotti não antecipa maiores detalhes sobre a nova investigação, mas garante que, "quando forem reunidas as provas que faltam, a comunidade de Concórdia passará por outra grande surpresa". O policial acredita que o que acontece em Concórdia não seja muito diferente da situação dos demais municípios de médio e grande porte do Estado. As prisões envolvendo empresários locais iniciaram no dia 24 de fevereiro de 2000 de forma espetacular. O empresário e ex-vereador Nilo Frozza, uma das principais lideranças do PMDB na época, foi preso, na divisa com o Rio Grande do sul, quando voltava de um congresso de parlamentares realizado em Porto Alegre. Acusado de cinco crimes, entre eles receptação de cargas roubadas e formação de quadrilha, Nilo acabou condenado a 15 anos de prisão. O ex-vereador sempre alegou inocência e até hoje garante que foi enganado por um amigo, chamado César Perondi do Nascimento, nunca localizado pela polícia. Nilo Frozza, que é dono de uma indústria de erva-mate, solicitou indulto recentemente e deve receber até o final do ano o direito de trabalhar durante o dia e dormir à noite no albergue do Presídio Regional. Já os empresários detidos neste ano estão numa situação complicada. Cinco estão envolvidos com a venda de pneus roubados, apreendidos no dia 14 de maio na Rodha Pneus. O proprietário da revenda, Lauri de Conto, e o condutor do caminhão que transportava os pneus, Dorvalino Bergossa, foram presos em flagrante. Depois, acabaram recolhidos ao presídio Jucelino Folle e Sironei Imming, administradores da FM Pneus, de Maravilha, que vendeu os pneus para a revendedora de Concórdia. Também foi detido Décio Dallagnol, acusado de ser o intermediário na compra dos pneus, roubados em abril na cidade de Gaspar.



Assaltante do "facão" é preso e também apanha - A Gazeta de Cuiabá

A "turma do facão" voltou a agir em Cuiabá. Mas, desta vez, a ação dos assaltantes não foi bem sucedida. Um dos participantes do grupo foi perseguido e alcançado por suas vítimas e, além de ter apanhado, foi preso e levado para a delegacia. Três homens armados com facões entraram no ônibus da viação Maramar, linha Santa Laura/Porto, quando o veículo passava pela avenida Beira Rio, na altura do bairro Praeirinho. Anunciaram o assalto, recolhendo carteiras, relógios, bolsas, e demais pertences dos passageiros do coletivo. Motorista e cobrador não escaparam da mira dos ladrões. Relógios dos dois, além do dinheiro que estava no caixa e vales transportes foram levados. No entanto, logo depois que os três homens desceram correndo do ônibus, as vítimas, acompanhadas do trocador, motoristas e populares, iniciaram uma perseguição pela avenida. Um dos três assaltantes foi alcançado. Depois de receber alguns tapas e pontapés, o homem teve um corte no lado esquerdo do rosto e foi medicado no Pronto Socorro de Cuiabá.



Bandidos invadem casa na periferia, torturam família e roubam televisão - A Gazeta, Rio Branco - Acre

O pedreiro Sebastião Lima Ferreira, 36, sua esposa e oito filhos menores viveram o pior dia de suas vidas na noite de sexta-feira, quando se encontravam dormindo em casa no bairro Chico Mendes/São Francisco. Três delinqüentes encapuzados, portando faca e escopeta, invadiram a casa pelo basculante do banheiro e roubaram o único objeto de valor que tinha dentro, uma televisão de 14 polegadas. Durante o assalto, os bandidos torturaram crianças e desferiram uma facada em Sebastião na intenção de matá-lo. Um vizinho tentou socorrer as vítimas e também foi rendido pelos marginais. Sebastião foi socorrido por uma equipe da Polícia Militar e levado ao Pronto-Socorro para ser medicado. Ele sofreu um corte no braço direito e deve ser submetido a cirurgia porque atingiu o nervo e não consegue mexer os dedos, podendo até ficar deficiente. Os policiais ainda realizaram buscas pelo bairro Chico Mendes e adjacências na intenção de prender os assaltantes que fugiram tomando rumo ignorado. Os marginais foram tão ousados que bastou a polícia ir embora voltaram à casa da vítima para ¿terminar o serviço¿. Eles só não se aproximaram porque os vizinhos se reuniram e passaram a noite em claro dando proteção aquela família. A reportagem de A GAZETA esteve no bairro Chico Mendes e conversou com vários moradores a respeito da violência. Eles não quiseram se identificar com medo de morrer, mas disseram que após às 19h ninguém pode sair de casa porque é assaltado pelos marginais que ficam perambulando pelas ruas até o dia amanhecer. ¿Eles roubam tudo e quem tenta enfrentá-los ou denunciá-los a polícia corre o risco de ser morto. Como ninguém tem coragem de sair eles invadem nossas casas e levam qualquer coisa que possam vender para comprar droga. A Polícia Militar até que visita o bairro de vez em quando, mas quando avistam a viatura correm ou escondem as armas para não serem presos em flagrantes¿, diz uma moradora da rua Lourenço Lopes.
Sebastião Lima morava no município de Cruzeiro do Sul e, há menos de um ano, resolveu vir para Rio Branco em busca de trabalho e uma vida melhor. Com muito sacrifício conseguiu comprar um terreno no bairro Chico Mendes e construir uma pequena casa onde mora com a mulher Rai-munda Ferreira, 34, e oito filhos, sendo que o mais velho tem apenas 16 anos. Mesmo tendo uma família grande, Sebastião conseguia dar comida e estudo a todos trabalhando como pedreiro e carpinteiro. Por volta das 23h de sexta-feira, os bandidos aproveitaram que todos estavam dormindo para invadirem a casa. Sebastião foi o primeiro a ser rendido pelos assaltantes, que puseram o cano da escopeta em sua boca ameaçando apertar o gatilho se tentasse reagir. Nesse momento Raimunda e as crianças acordaram e ficaram apavoradas quando viram o pai prestes a ser morto. Uma das filhas da vítima de dois anos começou a passar mal. Foi nesse momento que Sebastião segurou no cano da escopeta e travou uma luta com o bandido, deixando as crianças ainda mais desesperadas. A vítima estava levando vantagem, mas foi atingida com uma facada no braço direito desferida pelos outros marginais. Sebastião ainda chegou a tomar a escopeta, só que não teve tato para apertar o gatilho e matar um dos bandidos. A gritaria fez com que os vizinhos se acordassem. Um deles teve coragem de socorrer a família, mas também foi feito de refém. ¿Disse a eles que podiam levar a televisão, só queria que deixassem minha família em paz, mas os assaltantes queriam dinheiro. Em casa eu tinha apenas R$ 2,00 que seria para comprar pão no dia seguinte. Nunca imaginava que um dia nossa família ia passar por uma situação como essa. Foi Deus que me deu coragem para enfrentar aqueles homens, pois a intenção deles eram me matar¿, conta. Até às 10h de ontem a Polícia Civil ainda não tina tomado conhecimento do assalto, até porque a vítima está ferida e não tinha como chegar a delegacia. Por telefone a reportagem entrou em contado com a equipe de plantão do Grupo Antiassalto - GAPC e comunicou os fatos. Os policiais anotaram o endereço e se comprometeram de ir ao local para começar as investigações. Apesar dos bandidos estarem escapuzados, o crime está fácil de ser desvendado porque segundo informações de populares, os assaltantes são pessoas acostumadas a passar na frente da casa de Sebastião.



Aconteceu há 10 ANOS, saiu no Estado de São Paulo do dia 03/07

Queimados vivos - O Estado de São Paulo
Rio - Três rapazes, que estavam assaltando os passageiros de um ônibus, foram agarrados, espancados e tiveram os seus corpos incinerados por moradores do subúrbio de Olaria, na zona norte. A morte dos ladrões chegou a ser comemorada com abraços e gargalhadas pelos moradores das ruas Alfredo Barcelos, Noêmia Nunes e do Largo das 5 Bocas. Os três jovens ficaram, durante quase duas horas, agonizando na rua, porque a multidão bloqueou a passagem da ambulância do Corpo de Bombeiros. Um morador, que cedeu a um Policial Militar um balde com água, para apagar o fogo dos corpos, foi vaiado pela multidão.


Sábado, Julho 05, 2003



Eletricista é preso por abusar da filha - O Povo, Ceará

Mais um caso de violência sexual intra-familiar. Desta vez, o pai que abusava da filha mais velha, hoje com 19 anos, foi preso preventivamente na manhã de ontem. H.U.D., 46, eletricista, é acusado de praticar atos libidinosos na frente da garota, que tem leve retardamento mental, desde que ela tinha nove anos. Em 2002, ficou comprovado que ele também a estuprava. O primeiro inquérito para apurar o caso foi instaurado na Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dececa) em 2001, a partir de uma denúncia anônima. A Polícia concluiu que o eletricista praticava atentado violento ao pudor, além de manter a família em cárcere privado e sob maus tratos. Durante a apuração, o acusado deixou a casa. Há três meses, a mãe das crianças morreu. Os filhos passaram a viver sozinhos, acompanhados por um tio materno. Nesta oportunidade, H.U.D. voltou para a casa. Diante das circunstâncias, a promotoria que acompanha o processo pediu a prisão preventiva do pai agressor, no último dia 30. Ele foi transferido ontem para a Delegacia de Capturas, e deverá seguir para o IPPOO II. Segundo a delegada Rena Gomes, H.U.D. nega as acusações.



Terçadadas - O Liberal, Belém

O corpo de Marcos Vicente Dias Andrade, 26 anos, foi encontrado na madrugada de ontem retalhado a terçadadas em frente a uma escola entre a 1ª e 2ª ruas do bairro do Aurá. Ao lado do cadáver ficou a arma do crime, que foi levada para a Delegacia de Ananindeua e apresentada ao delegado Renato Wanghon. O terçado será encamimado para perícia. O delegado Wanghon disse ontem que pessoas da comunidade local que presenciaram o crime estão dificultando ação da Polícia, negando-se a dar informações. Contudo, o delegado foi informado, através de um telefonema anônimo, que foram vistas cinco pessoas correndo atrás da vítima, todas armados com terçados e facas. Mais adiante, segundo o telefonema à Polícia, um dos perseguidores conseguiu alcançar Marcos Vicente e o retalhou. Entre os pertences de Marcos Vicente foi encontrada uma trouxinha com maconha, o que leva a Polícia a suspeitar de ¿acerto de contas¿ entre traficantes. Marcos Valente residia no Conjunto Jáder Barbalho, quadra 20, nº 19, no Aurá.



Triângulo amoroso acaba em morte na Cidade Nova - O Liberal, Belém

Um triângulo amoroso acabou em tragédia na Cidade Nova VI, quando foi assassinado, com uma pedrada na cabeça, o estudante Sérgio Silva de Moraes (WE-81, nº 852), 31 anos. O fato aconteceu por volta das 22h30 de quinta-feira, 3. O autor do crime é Paulo Victor Barbosa Lara, 28 anos, morador do mesmo conjunto. Uma jovem de prenome Glayce seria o pivô da trágica história. A mãe da vítima, Maria das Graças Silva de Moraes, confirmou, através do Boletim de Ocorrência 6141-06, que Paulo Victor matou seu filho com uma pedrada na cabeça, fraturando-lhe o crâneo. O escrivão Frade, da Seccional Cidade Nova, que esteve no local com o delegado Marcos Bonfim, contou ontem que Sérgio esteve na casa da ex-namorada Glayce na noite que antecedeu o crime tentando reatar o namoro, que tinha terminado há três meses. A recusa de Glayce deixou o estudante revoltado. Na noite do crime, depois de tomar umas cervejas, Sérgio fez mais uma tentativa, segundo o policial, indo à casa da ex-namorada. Como voltou a ser rejeitado, partiu para a agressão, sendo contido por uma amiga de Glayce, cuja identidade permanece desconhecida. Alguns minutos depois chegava Paulo Victor, que tomou conhecimento da agressão da namorada pelo ex, e resolveu decidir a parada com o rival. Ao tomar satisfação com Sérgio, que ainda estava por perto, começou uma violenta discussão e a troca de socos e pontapés, até que Paulo Victor valeu-se de uma pedra, acertando o adversário. Socorrido e levado ao PS da Cidade Nova, Sérgio não resistiu. Quando soube da morte do rival, Paulo Victor tratou de fugir. Várias testemunha já depuseram na seccional, mas a polícia ainda não conseguiu prendê-lo.



Estuprador tem cabeça cortada dentro de cela - Estado de Minas

Três horas. Este foi o tempo que o estuprador Roberto Carlos Rodrigues, de 36 anos, sobreviveu em uma cela da Delegacia Especializada em Repressão a Furtos e Roubos de Veículos. Roberto Carlos, conhecido como Gregório , foi assassinado e teve a cabeça decepada por outro detento, Aílton Lima, de 44. Ele foi morto assim que se deitou para dormir, pouco depois de ser colocado na cela. Esta é a terceira morte de preso na delegacia em menos de um mês. A vítima foi um dos sete presos que fugiram da Delegacia de Mulheres no mês passado, levando armas e a Blazer de placa GMG-6859, da polícia. Quando os policiais descobriram o corpo na cela 3 da delegacia, Aílton Lima, apelidado de Sula , assumiu o crime e disse que não conhecia Roberto Carlos. Ele o teria matado apenas porque se tratava de um estuprador. Embora foragido da Delegacia de Mulheres, Roberto Carlos, recapturado ontem, foi levado para a Furtos e Roubos de Veículos porque a unidade da qual escapara não tinha vagas. Ele foi conduzido a uma cela com mais 19 detentos, parte das 90 pessoas que dividem a carceragem, com capacidade para apenas 20. A polícia garante que a situação do preso - condenado a 20 anos por estupro - foi mantida em segredo dos demais detentos. Aílton, que cumpre 11 anos por tráfico de drogas e ainda tem dois processos por assassinato, uso de drogas e porte ilegal de arma, contou, no entanto, que Roberto Carlos já chegou à cela se gabando de ser estuprador e de ter violentado a própria filha, de 14 anos. Ao invés de impor moral entre os detentos, como esperava, ele provocou revolta nos colegas de cela, explicou Aílton. Em depoimento ao delegado Márcio Domenici, do plantão do Departamento de Investigações (DI) da Polícia Civil, o assassino descreveu em detalhes como matou Roberto Carlos. Contou que pegou a vítima por trás e, depois que ela desmaiar, pulou sobre seu copro. Em seguida, arrastou-o até o batente do banheiro, onde apoiou sua cabeça e quebrou seu pescoço. A morte do preso, no entanto, não foi suficiente. Ailton desmontou uma gilete de barba e, com a lâmina, decepou a cabeça da vítima, exibida como uma espécie de troféu macabro aos policiais.



Manicure assassinada pelo ex-marido quando dormia - Correio da Bahia

A manicure Ediane Rocha dos Santos, 18 anos, foi assassinada com vários tiros pelo ex-marido, o assaltante Marcos de Jesus Abade, 20, o "Tute", ontem de madrugada, em sua casa, no município de Candeias. Segundo ficou apurado pela polícia, há dois dias os dois tiveram uma discussão, por motivos ainda não esclarecidos, e ele jurara a garota de morte. A jovem morreu sobre a cama da residência de dois cômodos onde passara a morar com o filho do casal, de dez meses, desde que se separou do homicida. Ediane dormia sozinha no imóvel, pois deixara o filho aos cuidados de sua mãe. Por volta de 1h, Marcos arrombou a porta e atirou contra a vítima. Quando fugia, foi visto por vizinhos da manicure, que o denunciaram aos agentes de plantão na 20ª Delegacia (Candeias). Com várias passagens por aquela unidade policial, ele saíra da cadeia há um mês, onde estava por envolvimento em assalto. Enquanto se encontrava preso, a ex-mulher sempre ia visitá-lo na delegacia, levando o filho do casal e mantimentos. Morando desde o início do mês passado no imóvel alugado na Rua Caramuru, nº 41, bairro Sarandi, periferia de Candeias, Ediane vivia dos trabalhos que realizava para moradores do bairro, mas tinha sonhos de abrir o próprio salão de beleza. O levantamento cadavérico foi presidido pelo delegado Roque das Chagas Menezes, de plantão na 20ª DP, que instaurou inquérito, depois de expedir a guia de remoção do corpo para o Instituto Médico-Legal Nina Rodrigues. Agentes do Serviço de Investigação daquela delegacia realizaram ontem mesmo, pela manhã, diligências nos pontos mais freqüentados por "Tute", a fim de levantar informações sobre seu paradeiro.



Detento é espancado até a morte - A Tarde, Bahia

Três presos, sendo um adolescente de 17 anos, assassinaram, na madrugada de ontem, na cela da delegacia de Juazeiro, o detento Jair da Silva, 30 anos. J.B.R., 17 anos, Carlos Carpegiani Filho e Nivaldo de Almeida Lima, segundo o delegado Marcos Antonio Alves Pereira, espancaram Jair até a morte porque, conforme disseram em depoimento, ele já chegou agredindo os colegas de cela. Jair foi recolhido ao xadrez acusado de desordem e briga em família. De acordo com o relatório policial, ele tinha espancado o irmão e estava quebrando tudo em casa, sendo detido e levado à delegacia. Para ocultar o crime, Nivaldo, Carlos e o adolescente, simularam o suicídio da vítima por enforcamento.



Operário morre durante briga com a mulher - A Notícia, SC

Fraiburgo - O operário Genir Pereira, 26 anos, morreu na manhã de ontem, em Fraibrgo, no Meio-oeste, durante discussão com a sua mulher Lucilene Antunes, 21 anos. Ele levou uma pedrada na cabeça de uma terceira pessoa e não resistiu ao ferimento.
Segundo a Polícia Militar, o casal iniciou uma briga e Genir desferiu uma facada na mão de Lucilene. Uma terceira pessoa, que ainda não foi identificada foi quem atirou a pedra contra o operário, que desfaleceu no local. O ferimento foi profundo e ele teve que ser levado rapidamente para o Hospital Maicé, na cidade de Caçador. Internado na unidade de terapia Intensiva, no entanto não resistiu e faleceu em seguida. A suspeita é de que o autor da pedrada seja um familiar de Lucilene, que teria presenciado a briga do casal. A Polícia Civil, até a tarde de ontem, ainda não havia sido comunicada da morte, mas deve abrir inquérito para apurar em quais circunstâncias ela ocorreu.



Mulher briga e é esfaqueada em Concórdia - A Notícia, SC

Concórdia - Uma richa entre duas vizinhas quase terminou em tragédia no final da noite de quinta-feira, em Concórdia, no Oeste do Estado. Depois de discutirem mais uma vez, as vizinhas Claudete Soares, 21 anos, e Amélia Salete Alves, 30, entraram em luta corporal. Claudete, que estava armada com uma faca de cozinha, acertou um golpe no abdômen de Amélia, que está internada no Hospital São Francisco e não corre risco de vida. Claudete foi encaminhada ao Presídio Regional. A briga entre as duas vizinhas começou há mais de um ano. Há cinco meses Claudete foi para o Rio Grande do Sul, mas na noite de quinta-feira retornou ao bairro Posto Cem para "se vingar de Amélia". A discussão começou em frente à residência da vítima. Após desferir o golpe, ela foi contida pelos vizinhos. Amélia foi para o Hospital São Francisco e Claudete foi presa em flagrante.


Sexta-feira, Julho 04, 2003



Primeira matéria que não é do Brasil, mas é cruel


Bebê sobrevive após ser enterrado vivo - Diário de S. Paulo

Pai não queria criança do sexo feminino

Nova Délhi - Uma recém-nascida, que foi enterrada viva pelo pai, imediatamente após o parto na Índia, conseguiu sobreviver 15 horas soterrada embaixo da terra, respirando o ar que passava entre as pedras, segundo informações da imprensa indiana divulgadas ontem. Sudama Patel, de 30 anos, morador do povoado de Kailashpur ¿ Estado indiano de Madhya Pradesh ¿ enterrou o bebê porque era do sexo feminino e ele esperava um menino para fazer parte de sua família, revela o jornal indiano ¿Hindustan Times¿. O homem já tinha duas filhas e, ao nascer a terceira, ficou ¿furioso por não ser um herdeiro do sexo masculino e enterrou a criança viva, apesar dos protestos da mãe, Gulabkali¿, conta o jornal. A mãe, então, conseguiu fugir de casa horas depois do ocorrido e denunciou o crime à polícia, que 15 horas depois conseguiu encontrar a recém-nascida e a resgatou ainda com vida.
Homicídio
Segundo as autoridades, o pai foi preso e vai ser julgado por tentativa de homicídio. ¿Foi uma cena chocante e ao mesmo tempo um grande milagre¿, afirmou um dos policiais que participaram do resgate do bebê. ¿Ela terá todo o meu carinho¿, afirmou a mãe.



Homem é preso suspeito de molestar criança em S. José - Vale Paraibano, SJCampos



Polícia apreende armas, material pornográfico e calcinhas com os nomes das supostas vítimas
O armeiro Antônio Pinto de Araújo, 56 anos, foi preso ontem pela polícia acusado de molestar crianças e adolescentes de 9 a 14 anos de idade em Santana, zona norte da cidade. Na oficina do suspeito, a polícia apreendeu material pornográfico e um arsenal com armas de uso exclusivo das Forças Armadas. O acusado foi preso depois da denúncia da mãe de uma vítima, que revelou o nome de outras sete meninas que também teriam sido abusadas sexualmente. Entre os objetos apreendidos na oficina estavam calcinhas e sutiãs com inscrições com nomes e idades de mais seis supostas vítimas --todas de 14 anos de idade-- e diferentes datas do ano de 1998. Nenhuma delas foi identificada pela polícia. De acordo com a denúncia, Araújo aliciava meninas pobres que estudavam em uma escola em Santana. Ele pagaria de R$ 10 a R$ 50 para que as estudantes levassem as amigas para sua oficina. Segundo a polícia, o armeiro também levava suas vítimas para terrenos baldios no Urbanova, região oeste da cidade, em seu veículo, um Chevette cinza. Uma lona apreendida seria usada para cometer o delito nos terrenos. A delegada titular do 4º Distrito Policial, Ana Paula Medeiros Monteiro de Barros, afirmou que a denúncia da mãe de J.R.S., 12 anos, foi feita na última segunda-feira. A polícia abriu um inquérito de atentado violento ao pudor contra o acusado. "Acreditamos que existam mais vítimas, até de estupro, e pedimos que elas compareçam à delegacia para reunirmos provas contra o suspeito", disse. Por volta das 14h de ontem, Araújo foi preso em sua oficina de conserto de armas, localizada a poucos metros da delegacia. No local, foram apreendidas dezenas de armas de diversos calibres, entre espingardas, revólveres e pistolas, munição, um projeto de metralhadora, uma granada e munição para canhão das Forças Armadas, algemas e fotos de pessoas armadas. A polícia suspeita que as armas seriam comercializadas clandestinamente. - Além do arsenal, a polícia encontrou três fitas de vídeo caseiras, material pornográfico, balas, bexigas e revistas infantis. As fitas serão analisadas pela polícia. O celular do suspeito tocou várias vezes e foi atendido pelos policiais. Segundo os investigadores, eram vozes de crianças ligando de telefones públicos, procurando o acusado. Sete supostas vítimas já foram identificas pela polícia e uma foi ouvida e passou por exames de corpo de delito. A vítima, de 12 anos, reconheceu ontem à noite o acusado na delegacia. A mãe da vítima disse que a menina era abusada pelo armeiro desde os 9 anos de idade. Araújo foi preso em flagrante por porte ilegal de arma e teve a prisão temporária decretada por 30 dias por atentado violento ao pudor. Ele foi levado para a Cadeia Pública de Jacareí.

Terça-feira, Julho 01, 2003



Enterro acaba em tumulto - Folha de Londrina

Tumulto e quebra-quebra com túmulos quebrados e terminais de ônibus depredados marcaram o enterro do jovem Luciano Kuss, 21 anos, morto na sexta-feira após ter se envolvido em uma briga no município de Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba. Durante o enterro, no último sábado, amigos e familiares da vítima se revoltaram ao perceber que os dois supostos autores do crime estavam próximos do cemitério. Durante a confusão, o menor L.A.Q, 17 anos, foi apreendido e o outro rapaz, suspostamente envolvido na morte, conseguiu. O delegado de Fazenda Rio Grande, Noel Francisco da Silva, informou que os participantes do enterro, depois de perseguirem os dois rapazes, seguiram em protesto até a BR-116 para pedir Justiça no caso e mais segurança na cidade. Segundo o tenente Anderson Martins de Oliveira, comandante do policiamento de Fazenda Rio Grande, os cerca de 200 manifestantes bloquearam o trânsito por aproximadamente 1h30. Um motorista tentou passar pelo bloqueio e houve troca de tiros, sem vítimas. De acordo com o tenente, os manifestantes se revoltaram contra a atitude do motorista, um policial civil. Foram deslocadas três viaturas até o local para conter a revolta. Depois de muita conversa, e da chegada de repórteres, os populares deixaram a rodovia. Segundo Leslie Carlos de Moura, um vereador do município, a violência em Fazennda Rio Grande estava sob controle nos últimos anos, mas, com a falta de policiais o quadro tem mudado. O menor L.A.Q foi ouvido ontem na delegacia e teria confessado o crime. Segundo o delegado, o menor delatou o companheiro, que mora em Curitiba. Um mandado de prisão preventiva já foi solicitado. ''Estamos apenas aguardando o mandado para irmos atrás do foragido'', disse o delegado.



Rapaz é encontrado decapitado em SP - Diário do Grande ABC

Um rapaz de 18 anos e a namorada foram encontrados mortos pela polícia em São Paulo. O jovem, identificado como Gutenberg Soares da Silva, foi decapitado. Segundo informações do Cidade Alerta, da Rede Record, a polícia acredita que o crime tenha sido passional. Um suspeito, identificado como Vagner Ribeiro e que seria vizinho de Gutenberg, foi preso. Segundo a mãe da vítima, Gutenberg saiu da cadeia há pouco tempo e vinha sendo pressionado para matar a namorada ¿ Maria das Dores da Silva, 17 anos ¿ por motivos não explicados.



Irmãos planejam morte do pai em S.José dos Campos - Diário do Grande ABC

A polícia civil de São José dos Campos divulgou na tarde de segunda-feira uma fita dos depoimentos dos irmãos que planejaram a morte do pai, o aposentado Kazu Harada, em Caçapava, no Vale do Paraíba e dos outros cinco acusados. No depoimento, os irmãos Angela Yuri Harada, de 33 anos, funcionária do Inpe de São José dos Campos, e George Harada, 22 anos, estudante universitário, contaram que o pai era muito violento e por este motivo planejaram o crime, pedindo a ajuda da filha da empregada da casa, Shirley da Silva. ¿Meu pai era tão agressivo que a vida inteira ele esfregava o prato de arroz no meu rosto quando eu derrubava um grão no chão¿ afirmou o universitário. A filha, com tranqüilidade, disse que se sentiu aliviada com a morte porque ela sempre pensava isso. Sem coragem para matar o pai, os irmãos recorreram à filha da empregada, Shirlei da Silva, para que ela contratasse algumas pessoas por R$ 6 mil. Os cinco envolvidos receberam dos irmãos R$ 7,5 mil. ¿O resto do dinheiro a Angela combinou de entregar em um shopping em Taubaté. Aí ela levou o dinheiro em uma sacola e agradeceu muito pelo serviço. Disse que estava em paz¿. A mesma paz foi citada pelos irmãos George e Angela no depoimento. ¿Viver com o meu pai era um inferno. Ele ficou 14 anos fora mas quando voltou foi impossível viver sob o mesmo teto. Agora estamos em paz¿, afirmou Angela.



Pai e filho forçavam menores a roubar em Guarulhos - Diário do Grande ABC

Dois homens foram presos na noite de domingo no Jardim Cumbica, em Guarulhos, acusados de usar menores para praticar crimes. Elias Soares Sampaio, 43 anos, e seu filho, Cristiano Soares Sampaio, 23 anos, ¿lideravam¿ três adolescentes ¿ dois de 15 anos e um de 12. Os policiais explicaram que a dupla ameaçava matar os adolescentes que se negassem a roubar ou que denunciassem a quadrilha. A polícia chegou aos acusados graças à denúncia do pai de uma das crianças usadas pelos criminosos. Na casa dos acusados os policiais encontraram eletrodomésticos e eletroeletrônicos roubados. Os menores foram levados à Febem. Elias será indiciado por roubo e Cristiano, que é ex-presidiário, por receptação.



Triplo assassinato - Correio da Bahia

A polícia de Teixeira de Freitas, a 820km de Salvador, ainda não tem nenhuma pista sobre quem executou com vários tiros os adolescentes Bruno da Silva, 15 anos, e Júnior de Jesus Anunciação, 18, e Valdenir Alves Ferreira, 37, que era conhecido como "Robertão" ou "Massa Bruta". A primeira e a terceira vítimas já eram conhecidas na delegacia. Bruno tinha envolvimento em crimes contra o patrimônio, enquanto Valdenir fora autuado duas vezes, uma por porte ilegal de arma e a outra por receptação.
Os três foram assassinados na noite de sábado passado, dentro de uma plantação de eucalipto pertencente à empresa Plantar, situada à margem da entrada que leva à localidade de Juerana, a cinco quilômetros da cidade. Os indícios encontrados pela polícia apontam que os criminosos levaram as vítimas até o local e lá as executaram. Os corpos só foram encontrados por volta das 14h do domingo, por um funcionário da Plantar que fazia a ronda diária. O delegado de Teixeira de Freitas, Jorge Nascimento, está à frente das investigações sobre o caso.



Marido mata mulher com dez facadas e se suicida - Correio da Bahia

Num acesso de ciúmes, o comerciante autônomo Almerindo Almeida Inácio, 59 anos, matou sua mulher, Eunice Conceição Gomes Inácio, 52, professora e funcionária da prefeitura de São Francisco do Conde, com dez facadas e depois suicidou-se com um único golpe no peito esquerdo, ontem de manhã. A tragédia ocorreu na residência do casal, localizada na Praça Santa Cruz, naquele município. Segundo familiares, eram comuns as crises de ciúmes de Almerindo. A faca tipo peixeira usada pelo comerciante foi encontrada próximo aos corpos, na cozinha. As vítimas estavam caídas lado a lado, perto da pia, onde havia alimentos que Eunice preparava quando recebeu as facadas. Uma sobrinha de Almerindo, residente na mesma casa, relatou à polícia que os tios amanheceram discutindo, mas como isso era corriqueiro, ninguém poderia imaginar que resultaria em tragédia. A testemunha estava na xerox pertencente a Almerindo, ao lado da residência, quando ouviu gritos de socorro da tia, por volta das 10h30. Chegando à sala, avistou o comerciante na copa, com a faca em mãos e as roupas sujas de sangue. Correu para pedir socorro e na volta encontrou os dois mortos. Nice recebeu golpes no abdômen, braços, rosto, peito e costas, além de ter quase a mão direita decepada. Inconformadas, dezenas de pessoas se amontoavam perto da casa, onde aguardavam a remoção dos corpos. A sala da residência ficou pequena para abrigar tantos parentes e amigos. Segundo vizinhos, no local moravam Almerindo, Eunice, uma sobrinha dele e três filhos do casal, dois dos quais se encontravam viajando. Amigos teceram elogios a Eunice, que era poliglota, professora de ginásio e muito querida entre os colegas da Secretaria de Infra-Estrutura da prefeitura. "Domingo, eles foram vistos abraçados e sorrindo em meio aos festejos de São Pedro", comentou, chorando, uma amiga.


Home
 

Google


Search WWW Search www.brasilcruel.blogger.com.br